Prefeitura leva quatro meses para anunciar morte do leão Lineu no Bosque dos Jequitibás, em Campinas, SP

Prefeitura leva quatro meses para anunciar morte do leão Lineu no Bosque dos Jequitibás, em Campinas, SP
O Leão Lineu chegou ainda filhote e viveu durante 15 anos no Bosque - Cedoc/RAC

O leão Lineu — um dos animais mais queridos do público no zoológico do Bosque dos Jequitibás de Campinas — morreu por causas naturais, associadas à idade. A informação foi confirmada ontem pela Prefeitura, mas a morte do felino ocorreu em 10 de junho passado, quando o bosque estava fechado para o público, em função da pandemia de Covid-19.

O sumiço de Lineu no Bosque foi sentido por alguns frequentadores que começaram a visitar novamente o local a partir do final de agosto, quando houve a reabertura ao público. Porém, as pessoas não tinham informação se o animal estava doente, se teria morrido ou se estava apenas dormindo demais em sua jaula nos horários de abertura ao público.

A Prefeitura não deu a notícia sobre a morte de Lineu e ontem alguns leitores do Correio procuraram pela reportagem para indagar sobre o paradeiro do leão. Ao ser questionada, a Prefeitura confirmou a notícia. Informou que o animal estava bem de saúde e que dois meses antes de morrer, Lineu vinha perdendo a vitalidade gradativamente. Lembrou também que o felino viveu 15 anos, dentro do tempo médio de vida dos leões.

Lineu passou os seus 15 anos no Bosque dos Jequitibás porque veio para o recinto de Campinas alguns meses depois de nascer em cativeiro, no Parque Ecológico Engenheiro Cid Almeida Franco, no início de 2005, em Americana. O felino foi transferido para Campinas no dia 3 de maio daquele ano.

No zoológico do Bosque dos Jequitibás, Lineu viveu ao lado da leoa Nala. Ainda há outros felinos além da Nala, uma fêmea de onça-parda, denominada Selina, e uma jaguatirica com nome de Kyria.

A Prefeitura informou que todos os animais que vivem no Bosque são acompanhados e tratados por profissionais especializados, como biólogo, veterinário e tratadores, que garantem as boas condições dos ambientes, da alimentação nutritiva e balanceada, da saúde e demais cuidados que necessitem.

Segundo a Prefeitura, o Bosque tem um papel de educação ambiental e recebe grupos, além do público em geral, para aprender sobre a vida silvestre. Também recebe animais feridos ou maltratados, encaminhados pela Polícia Ambiental, para que sejam reabilitados.

Fonte: Correio


Nota do Olhar Animal: Causa bastante estranheza que a morte do leão neste zoológico seja comunicada quatro meses após ter ocorrido e apenas após a prefeitura ser questionada por visitantes. Por que omitiram o fato por todo este tempo?

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.