Primeiro hospital veterinário público do DF ainda não funciona

Primeiro hospital veterinário público do DF ainda não funciona

O Ibram informa que ainda não recebeu a construção porque estuda a viabilidade do projeto de urbanização do local. Além disso, o órgão está avaliando qual o melhor modelo de gestão do espaço e diz que o processo para obtenção da licença de funcionamento está em andamento.

O prédio foi erguido no Parque Ecológico Lago do Cortado, em Taguatinga. O investimento total é de R$ 2,3 milhões, feito por meio de compensação ambiental, valor que será pago pela Direcional Engenharia. Atualmente, a empresa desembolsa R$ 24.180 por mês para garantir a segurança e a conservação do edifício vazio. O recurso é descontado do valor total da compensação. A construção dos demais galpões só terá início assim que o hospital começa a funcionar.

O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) alega que não recebeu a obra porque estuda a viabilização do projeto de urbanização do local, cuja execução ficará também a cargo da empresa. Paralelo a isso, o órgão está avaliando qual o melhor modelo de gestão do espaço. O processo para obtenção da licença de funcionamento está em andamento, segundo a assessoria de imprensa do Ibram.

Enquanto não se resolve o imbróglio, o local segue com mato alto e sofre com as ações do tempo. O Metrópoles visitou o hospital e constatou que parte da estrutura do telhado foi derrubada pelo vento. Confira a galeria de fotos:

DF brasilia hospital

DF brasilia hospital

DF brasilia hospital

DF brasilia hospital

Fonte: Metrópoles

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.