Professor de canoa havaiana salva golfinho preso em rede de pesca em Vitória, ES

Professor de canoa havaiana salva golfinho preso em rede de pesca em Vitória, ES
Depois de salvar o golfinho, a canoa havaiana onde o professor estava com os alunos ficou presa às redes. (Foto: Reprodução)

O professor informou que um grupo de 30 outros golfinhos chamaram atenção dos humanos para o animal preso na rede de pesca.

O professor de canoa havaiana Vitor Gava Guerra teve que interromper o treino com seus 11 alunos na manhã desta sexta-feira (20) para resgatar um golfinho que estava preso em uma rede de pesca em Camburi.

O resgate aconteceu graças a um grupo de aproximadamente 30 golfinhos que chamou atenção para o animal em perigo.

De acordo com Vitor, ele e os alunos entraram no mar, na Curva da Jurema, às 5h20 e seguiram em direção a camburi. Não demorou muito tempo para que ele e seus alunos avistassem os golfinhos agitados no mar.

“Olhei os golfinhos que pareciam querer chamar a nossa atenção. Meus alunos ficaram olhando para os animais, mas um pouco mais à esquerda havia um movimento diferente no mar e fiquei observando. Enquanto os alunos estavam admirando os golfinhos eu continuei olhando a movimentação diferente no mar para identificar o que era, pois pensei que era uma arraia”.

O professor percebeu que não era o peixe, achou que fosse uma tartaruga e decidiu se aproximar com a canoa. “Quando cheguei perto me deparei com o golfinho e o meu primeiro pensamento foi: eu só saio daqui depois que tirar o golfinho da rede. Então meus alunos ficaram remando para dar estabilidade à canoa e para eu me aproximar dele. Eu consegui pegar ele e arrebentar a rede com as mãos. Primeiro consegui liberar a cabeça dele e depois o corpo”, disse.

Vitor acredita que o animal acabara de se prender nas redes de pesca porque estava muito agitado e com muita energia. “Ele não estava cansado. Só fomos até ele por causa do grupo de golfinhos que chamaram a nossa atenção e pareciam querer avisar que um do grupo estava em perigo. Quando conseguimos soltar o bicho ele se integrou ao grupo e a nossa canoa ficou presa às redes de pesca”, afirmou.

Para sair das redes com a canoa havaiana, Vitor e seus alunos resolveram puxar o material de pesca, recolhê-lo e deixá-las na praia, mas acabaram desistindo da ideia.

Esta não foi a primeira vez que o professor de educação física salvou um animal marinho. “Salvar um golfinho, um animal deste porte, foi a primeira vez na minha vida, mas já salvei várias tartarugas marinhas presas em redes de pesca”.

Perigo para os golfinhos

Na última terça-feira (17), após um golfinho ser encontrado morto na Praia do Barrão, em Vila Velha, a deputada Janete de Sá (PMN), presidente da CPI dos Maus-Tratos aos Animais da Assembleia do Espírito Santo (Ales), enviou um ofício ao Ibama e à Secretaria de meio ambiente de Vila Velha solicitando o aumento da fiscalização e punição ao combate à pesca predatória na orla capixaba.Por Mary Martins

Fonte: Folha Vitória

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.