Professora adota cão abandonado pelo tutor em hospital de Araçatuba, SP

Professora adota cão abandonado pelo tutor em hospital de Araçatuba, SP

Filhote tem apenas 10 meses e ficou internado após um atropelamento. Caso ganhou repercussão depois que animal foi abandonado pelo tutor.

SP Aracatuba adocao cao

O cachorro vira-lata Spike, que foi abandonado pelo tutor no Hospital Veterinário Luiz Quintiliano de Oliveira, da Universidade do Estado de São Paulo (Unesp) de Araçatuba (SP), ganhou uma nova família. Ele foi adotado na quarta-feira (14) por uma professora da cidade, que se sensibilizou com a história dele, depois do G1 publicar o caso, que ganhou repercussão nas redes sociais. O animal, de apenas 10 meses, ficou internado no hospital veterinário por dois meses.

Segundo o veterinário e supervisor do hospital, Luiz Cláudio Nogueira Mendes, o cachorro foi deixado na clínica no começo de agosto, após ter sido atropelado. Na época com oito meses, Spike passou por exames e foi constatada uma ruptura de uretra. Ele passou por cirurgia, ficou internado, mas já se recuperou. O tutor dele, no entanto, não retornou para buscá-lo.

SP Aracatuba adocao cao2

Sensibilizada com a história do cãozinho, a professora Jenifer Corassa Pinto, de 25 anos, foi até o hospital para conhecer Spike e diante do carinho recebido pelo cão resolveu levá-lo para casa. “Quando soube da história do Spike quis ir conhecê-lo pessoalmente. Ao chegar no hospital, o que mais me a chamou a atenção foi o jeito dócil e carinhoso que ele tem. Aí não teve jeito, tive que adotar”, diz a professora.

A professora conta que não consegue imaginar como o filhote pode ser abandonado. “A situação me chamou a atenção, não queria acreditar que ele tinha sido abandonado pelo próprio dono, logo depois de ser atropelado. Era a hora que ele mais precisava de cuidado, não podia deixar ele aqui sozinho sem que ninguém se interessasse por ele”, diz Jenifer.

Já na nova casa, Spike cheirou todos os cantos do local para se adaptar à nova moradia, mas o colo da tutora é o lugar preferido do cãozinho. “Ele ainda está se adaptando com a nova vida e com a nossa família. Ele até se aventura em conhecer os cômodos da casa mas sempre volta para o meu colo”, conta Jenifer

Segundo a professora, até a chegada do Spike, ela só tinha um gatinho na casa e sentia falta da alegria de um cachorro. “Eu já tive cachorros, sei o quanto eles são carinhosos com a gente. O Spike veio para alegrar ainda mais a minha casa.”

De acordo com o supervisor do hospital, a equipe de profissionais que cuidou do Spike durante o tratamento ficou feliz e com a sensação de dever cumprido “Os residentes ficaram muito felizes que Spike tenha ganhado um novo lar. Era triste vê-lo dentro de uma gaiola na maior parte do dia. O hospital não é lugar de animais sadios. Ele tinha de seguir seu caminho e ganhar uma nova família”, diz Mendes.

A nova tutora do cachorro diz que vai manter o nome original dele, Spike, e que agora a vida do cachorrinho será bem diferente daquela que viveu nos últimos meses. “Ele vai ficar comigo, nos escolhemos e, a partir de hoje (quarta-feira, 14), começo a escrever uma nova história junto com ele. Uma história bem diferente daquela que ele viveu”, diz a professora.

SP Aracatuba adocao cao3

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.