SP santanadeparnaiba rodeios PL4279-82 thumb

Projeto de lei não evitará rodeio de Parnaíba (SP) em 2014

Em cima da hora, projeto de lei contrário à realização de rodeios saiu da pauta da última sessão de Parnaíba.

Por Thieny Moltini

SP santanadeparnaiba rodeios PL4279-82

A realização de rodeio em Santana de Parnaíba voltou a ser alvo de protesto na 32ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal, ocorrida na última terça-feira (14). Votação de projeto que proíbe prática foi tirado da pauta do dia e mesmo com aprovação não impedirá realização de evento no próximo mês.

Na sessão desta semana o Projeto de Lei apresentado por Ângelo da Silva (PROS) e realizado em conjunto com Dr. Rogério (PC do B) e Nequinho Desanti (SDD), presidente interino da Câmara, que prevê a proibição da realização de eventos como esse estava previsto para entrar em votação. No entanto, três vereadores, que a princípio assinariam o pedido de urgência da votação do projeto, não o fizeram, eliminando assim o assunto da pauta do dia. O pedido conseguiu seis assinaturas, mas precisava de nove para entrar em regime de urgência.

Por outro lado, foi votado em caráter emergencial o Projeto de Lei nº 193/2014, de autoria do Poder Executivo, que dispõe sobre autorização ao Poder Executivo para firmar convênio com a prefeitura de Cajamar. “O projeto do executivo a base assinou e não votou o da oposição. São dois pesos e duas medidas”, analisou Ângelo da Silva.

Entenda
Em 26 de abril de 2013 foi aprovado o Projeto de Lei nº 3.259, de autoria do vereador Nilson Cadeirante (SDD), que dispõe sobre a realização de rodeios, vaquejadas e eventos similares no município. À época, todos os vereadores aprovaram, exceto Zé Cardoso (PSDB), que não estava na casa, e o então presidente, Elvis Cezar (PSDB).

No início do mês surgiram rumores de um rodeio que seria realizado na cidade de 13 a 16 de novembro deste ano. Manifestantes foram à Câmara de Santana de Parnaíba e pediram um posicionamento dos parlamentares. “Essa lei vai contra a tendência de extinção do rodeio”, afirmou Leonardo Deruiche Martins, que liderava os manifestantes na casa.

Ângelo da Silva foi um dos vereadores que aprovaram a lei do ano passado e afirma que não acreditava que a proposta tinha o teor de legalizar a prática. “Recebemos o projeto três meses antes da votação e a pauta da sessão só chega no dia seguinte, muitas vezes o material já foi arquivado. Naquela época não havia tanto debate e os vereadores pediam votos de confiança”, conta o vereador.

“Nós acreditávamos que era para impedir a vaquejada de forma irregular. Agora que tomamos conhecimento do teor do projeto.”

No entanto, mesmo que o projeto seja aprovado na próxima semana, o rodeio não poderá ser cancelado, uma vez que já há contratos para realização do evento.

Katia Ramos também é ativista e confirma nova manifestação na Câmara na próxima terça-feira (21). “Nequinho prometeu que tentaria fazer com que os vereadores votassem o projetos, caso isso não ocorro faremos passeata até o gabinete do prefeito.” Katia afirmou ainda que os manifestantes entraram com um pedido no Ministério Público para que o evento deste ano seja barrado.

O que manifestantes e vereadores contrários ao rodeio reforçam que não aprovam a utilização de animais em eventos, como rodeios, mas que são a favor da festa em si, dos shows e da comemoração pelo aniversário da cidade.

“Queremos conscientizar as pessoas que muitas vezes vão ao show do rodeio e não veem que por trás existe o mau trato animal”, esclarece a ativista e moradora de Alphaville.

Fonte: Folha de Alphaville

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.