Projeto de lei torna Castramóvel serviço permanente em Curitiba, PR

Projeto de lei torna Castramóvel serviço permanente em Curitiba, PR
Proposto serviço permanente de controle populacional de cães e gatos, a ser realizado por uma unidade móvel, denominada "Castramóvel Municipal" (Foto: Chico Camargo/CMC)

Foi proposto na Câmara Municipal de Curitiba, pelo vereador Toninho da Farmácia (PDT), que o “Castramóvel” seja permanente. O serviço ajuda no controle populacional de cães e gatos.

“Este projeto facilitará a adesão da população, já que os proprietários de animais não precisarão se deslocar para a realização do procedimento”, justificou Toninho. “Na cidade de São Paulo já existe uma campanha que informa que cada morador que castrar seu animal irá diminuir cerca de 500 animais em um ano”, complementou.

O veículo priorizará comunidades carentes do município, mas todos os bairros deverão ser contemplados. A Prefeitura deverá informar os locais por onde o serviço passará com 30 dias de antecedência, para cadastramento e distribuição de senhas. A meta inicial é o atendimento de cem animais por semana.

Para viabilizar a execução da Lei, deverão ser celebrados convênios e parcerias com entidades de proteção animal e outras organizações não governamentais, universidades, estabelecimentos veterinários, empresas públicas ou privadas e entidades de classe.

Funcionamento

A unidade móvel de esterilização e educação permanecerá estacionada em frente a unidades de saúde, escolas públicas ou em praças, durante sete dias em cada bairro escolhido. O serviço será disponibilizado para a população preferencialmente de segunda a sábado, das 9h às 12h e das 14h às 18h.

Paralelo às cirurgias de castração será realizado seminário de Guarda Responsável e de Bem-Estar Animal. A população será conscientizada da importância da esterilização, da vacinação, da prevenção de doenças, da posse responsável, das necessidades básicas do animal, como: alimentação, água, bem-estar e será esclarecida sobre as suas principais dúvidas.

Fonte: Ric Mais 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.