Projeto em Teresina (PI) sensibiliza crianças sobre combate ao tráfico de animais

Lugar de pássaro é voando, não preso em gaiola.

Lugar de pássaro é voando, não preso em gaiola. Essa foi a principal lição aprendida hoje (29) no Centro Municipal de Educação Infantil Tia Fanny, no Vale do Gavião, a partir do Projeto Liberdade e Saúde, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

Em visita às escolas de Teresina, representantes do Instituto buscam utilizar a educação ambiental para o combate ao tráfico de animais silvestres. O diálogo com as crianças é feito a partir de histórias em quadrinhos, músicas, vídeos e fantoches abordando a temática, além de contarem com o apoio dos professores como multiplicadores dessas informações.

“Estamos sensibilizando os professores com informações técnicas sobre o tráfico de animais, maus-tratos que sofrem e a importância biológica dos animais em liberdade. Outro ponto importante são os riscos de transmissão de inúmeras zoonoses como a raiva. A partir disso a escola pode desenvolver outras atividades educativas com as crianças”, afirma Fabiano Pessoa, analista ambiental do IBAMA.

Na ação com as turmas do CMEI Tia Fanny, envolvendo crianças de 2 a 5 anos, o analista explicou por que não devemos manter presos animais como pássaros, macacos e papagaios. “Essa informação tem que chegar até a casa da criança, junto aos pais, para que mantenham livres os animais. Além de ser crime, previsto multa, acreditamos que através da educação mudaremos essa cultura de querer criar passarinho preso em gaiola”.

A ideia, segundo Fabiano Pessoa, é levar o projeto para outras unidades de ensino da capital em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (SEMEC). Para a diretora do CMEI, Carla Maia, a divulgação das informações levadas pelo projeto é essencial para a conscientização das famílias. “A escola é multiplicadora das ações positivas e as crianças abraçam mesmo a ideia. Acredito que quanto mais agentes envolvidos no combate à violência contra os animais, melhor para todos”, concluiu.

Fonte: Piauí Hoje (com informações da SEMCOM)

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.