Projeto proíbe a venda de medicamentos ‘anti-cio’ para uso em cadelas e gatas

Projeto proíbe a venda de medicamentos ‘anti-cio’ para uso em cadelas e gatas
Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

O Projeto de Lei 4853/20 proíbe a venda de medicamentos “anti-cio” usados como método contraceptivo em cadelas e gatas sem prescrição feita por médico veterinário. A matéria está sendo analisada pela Câmara dos Deputados.

Segundo Célio Studart, animais podem vir a ter infecções e até tumores no útero e nas mamas

Autor do projeto, o deputado Célio Studart (PV-CE) argumenta que muitos donos de animais domésticos têm utilizado medicamentos “anti-cio” de maneira indiscriminada para evitar gestações indesejadas dos animais ou para que não haja cio. Ele alerta que essa prática tem como consequência a exposição dos animais a elevadas doses de hormônios, aumentando a chance de desenvolvimento de câncer e do nascimento de filhotes com sérias deformações.

“Existem estudos mostrando que de 10 cadelas que usaram regularmente a “vacina anti-cio”, 9 poderão apresentar problemas como a piometra, uma infecção do útero que pode levar a morte”, disse o deputado.

Ele cita ainda diversos outros motivos para não usar injeções ou comprimidos anticoncepcionais em animais, como por exemplo, infecções e tumores de útero, diabetes e tumores de mama.

Por Murilo Souza, edição de Ana Chalub

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.