Projeto quer liberar visitas de animais de estimação em hospitais de Goiás

Projeto quer liberar visitas de animais de estimação em hospitais de Goiás
Engenheira que enfrentou um câncer diz que cachorros foram aliados (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Um projeto de lei quer permitir que animais de estimação saudáveis entrem em hospitais durante os horários de visita, em Goiás. A proposta tramita na Assembleia Legislativa do estado e divide opiniões. Enquanto especialistas reconhecem que os bichos podem contribuir na melhora dos pacientes, a Associação dos Hospitais do Estado de Goiás alega que eles podem representar um risco sanitário às unidades.

Para o médico psiquiatra Daniel Victor Arantes, a presença do animal durante os tratamentos estimula a produção de hormônios e enzimas favoráveis à recuperação de quem está doente. “Você acaba liberando substâncias como endorfinas e outros neurotransmissores que são bastante positivos, inclusive com papel neurorregenerador. Ajuda o sistema imunológico, ajuda na recuperação do paciente sem sombra de dúvida”. disse.

A proposta foi apresentada pelo deputado estadual Gustavo Sebba (PSDB) no ultimo dia 3 de março e está sendo analisada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa.

O projeto de lei apresenta algumas restrições. As visitas com os animais devem ser agendas e sempre acompanhadas de algum parente do paciente. Além disto, eles devem entrar dentro de bolsas ou caixas apropriadas para o seu transporte. A ideia ainda proíbe os bichos de visitarem áreas de isolamento, quimioterapia e transplantes.

Para a Associação dos Hospitais do Estado de Goiás, que é contra o projeto de lei, por mais amigo e querido que o bicho de estimação seja e, mesmo sendo devidamente vacinado e tratado, o animal “é um foco de transmissão de doenças”.  Segundo a entidade, a presença do animal no ambiente hospitalar “pode se transformar em uma situação de risco para o paciente”.

Aliados na cura

A engenheira civil Márcia Cardoso de Oliveira enfrentou um tratamento de câncer há 15 anos. Ela afirma que o carinho recebido dos cachorros dela foi fundamental na luta contra a doença.

“Ele sente nos sinais corporais, no cheiro que a pessoa exala, o momento em que a pessoa está mais fragilizada e que precisa dele e eles dão essa força muito grande para a gente”, contou.

A experiência também é aprovada pelo biomédico Ítalo Bruno que acredita que o amor dos animais pode ajudar a curar problemas no organismo. “Este sentimento ultrapassa qualquer barreira, cura qualquer doença, vai além de todas as debilitações, além de todas as barreiras que possam existir”, disse.

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: E os animais, qual o interesse deles nisso? Apesar das iniciativas neste sentido invariavelmente focarem no interesse humano em ter o animal por perto e resultarem na instrumentalização dos bichos, cremos que para o próprio animal, que cria um forte vínculo com seu tutor, também seja uma medida benéfica.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.