Protestam em Viena com 650 animais mortos contra a exploração animal

Protestam em Viena com 650 animais mortos contra a exploração animal
Protestam em Viena com 650 animais mortos contra a exploração animal. (Foto: VGT)

Umas 650 pessoas, segundo os organizadores, protestaram hoje em Viena contra a exploração e o maltrato com os animais levando em seus braços 650 exemplares mortos de umas 40 espécies procedentes de laboratórios ou granjas industriais.

“Desejamos tirar a estes 650 animais das estatísticas e do anonimato e tratá-los como indivíduos, para fazer ver a sociedade o maltrato que sofrem”, declarou Martin Balluch, um dos líderes da organizadora do protesto, a Associação Contra as Granjas Industriais (Verein Gegen Tierfabriken – VGT).

Até agora o maior protesto deste tipo, com animais mortos nos braços, se produziu em Madri, em dezembro de 2014, quando cerca de 400 pessoas se concentraram no centro da cidade para conscientizar sobre o sofrimento animal.

Em meio ao frio e com gesto emocionado, os assistentes da manifestação em uma praça concêntrica da cidade portaram cerca de 40 espécies diferentes tratadas com produtos químicos e congeladas para evitar sua decomposição e mau odor. Entre os muitos animais que carregaram os participantes durante mais de uma hora havia coelhos, raposas, patos e ouriços, provenientes de granjas, fábricas e laboratórios, afirmou Balluch.

O ativista criticou as pessoas que “matam os animais por diversão, como o caso da caça”. Esta concentração é uma maneira de “lutar pelos direitos dos animais” e pedir justiça pelas centenas de milhões de exemplares que são “assassinados” cada ano no mundo, assegurou Balluch.

Alguns turistas e curiosos se aproximaram para presenciar o ato, atraídos pela acumulação de gente e a música que os acompanhava, com canções como Imagine de John Lennon ou a trilha sonora do filme Forrest Gump.

Tradução de Nelson Paim

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.