Matheus Pereira/AAN

Protesto atrai quase mil pessoas no Convivência, em Campinas, SP

Entre 800 e mil pessoas, segundo a organização, participaram de um protesto contra maus-tratos aos animais na manhã deste sábado (11), em Campinas. A manifestação teve início no Centro de Convivência e os participantes seguiram em passeata até a sede da prefeitura, onde os organizadores do evento entregaram a deputados e vereadores uma cartilha da lei que amplia a pena para autores de maus-tratos a cães e gatos domésticos. O encerramento se deu no Salão Vermelho.

“O ponto final dos maus-tratos contra animais se deu no caso da rinha em Mairiporã, em dezembro passado. Queremos mostrar para o Brasil que quem maltrata animais tem que ser visto como criminoso. Nossa reivindicação aos políticos é para que as leis sejam severas. Campinas está sendo hoje um espelho para o Brasil” , disse o idealizador do evento, o adestrador e protetor de animais Symon Castro.

O evento foi promovido por protetores e ativistas, com apoio da Secretaria do Verde e do Departamento de Proteção e Bem-Estar Animal (Dpbea). Segundo Castro, cerca de duas mil pessoas tinham confirmado participação no protesto, que contou com faixas e discurso da organização. Ao menos 300 camisetas com o slogan da campanha de defesa foram vendidas. “É um evento aberto a sociedade civil, para quem ama animais. Não foi focado em um grupo de organização específico. Não esperávamos esse retorno” , disse a ativista Heliet Ferrari.

Segundo a organização, o Brasil tem 30 milhões de animais que sofrem maus-tratos. Um levantamento feito pelo grupo junto ao Dpbea, mostrou que Campinas recebe três mil denúncias de maus-tratos contra animais por ano. “Não sou ativista, mas amo animais. Fiz questão de participar e trazer minha pitbull Arya para estar aqui. Essa cachorra a adotei há quase dois anos, após ver um anúncio de que um canil em Joaquim da Barra estava fechando e doando as matrizes. Viajei até lá e a peguei. Confesso que tive receio no início, mas ela se mostrou muito dócil e uma bebezona. Ama animais e crianças, inclusive dorme com minha filha de 9 anos” , contou a advogada Patrícia Gudwuin. “É necessário que as pessoas deixam de ‘coisificar’ os animais e passam a tratá-los com respeito e dignidade” , acrescentou.

A ideia, segundo a organização, é levar a luta também para outros estados brasileiros. A próxima cidade seria o Rio de Janeiro, cuja data ainda está em análise.

Legislação

Em dezembro, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que amplia a pena para autores de maus-tratos a cães e gatos domésticos. De acordo com o texto, o infrator está sujeito a uma pena de dois a cinco anos de reclusão, multa e perda da guarda.
A punição pode chegar a seis anos em caso de morte do animal. O texto ainda passará pelo Senado.

Fonte: Correio

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.