Protetora denuncia assassinato de gatos na Praça do Mafuá em Teresina, PI

Protetora denuncia assassinato de gatos na Praça do Mafuá em Teresina, PI

A protetora de animais Raíssa Rocha usou suas redes sociais para denunciar que gatos da Praça do Mafuá, em Teresina, estão sendo assassinados e alvos de maus-tratos. Em conversa com o Portalodia.com, ela contou que recebeu denúncia anônima e quando chegou ao local para conferir a situação, encontrou marcas de sangue dos animais no chão e um gatinho machucado e em situação de abandono.

“A gente recebeu a informação de uma senhora que normalmente alimenta os animais lá. Ela sentiu falta dos gatos e as pessoas disseram que um rapaz que dorme embaixo do viaduto tinha matado quatro gatinhos com uma faca e que ele mesmo tinha se encarregado de tirar os corpos dos animais de lá. A gente resgatou uma gata grávida e sete filhotes, sendo que na semana passada já tínhamos resgatado lá mais dois gatos”, explicou a estudante de veterinária.

Além da denúncia do assassinato dos animais, Raíssa disse ter ouvido também relatos de que comerciantes e vendedores das redondezas estariam jogando brasa de churrasqueira nos gatos que se aproximavam de seus estabelecimentos. A situação, segundo ela, causou revolta.

“A gente já fez denúncia na Delegacia do Meio Ambiente e esperamos que seja aberta uma investigação e tomada alguma providência, porque isso é crime. Maltratar um animal é inconcebível e mata-lo então é de uma falta de humanidade maior ainda. Foi feita a denúncia e estamos no aguardo de tomada de medidas efetivas para que isso seja parado”, disse a protetora.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Raissa Protetora (@raissaprotetora)

Procurada, a Delegacia do Meio Ambiente e Proteção aos Animais disse que não recebeu nenhuma denúncia ou ocorrência de maus-tratos ou biocídio de animais praticado na região da Praça do Mafuá e que caso seja comprovado que houve crime, que as autoridades policiais devem imediatamente ser acionadas para que o procedimento seja aberto.

“Se a situação estiver ocorrendo no flagrante, chame o Batalhão de Polícia Ambiental. Se o crime já tiver ocorrido, aí é que a Delegacia de Proteção deve ser acionada. No caso de cão e gato, a gente tem que lembrar que pela nova lei de proteção aos animais, a pena é de prisão de dois a cinco anos por mau trato. Se houver morte, aumenta essa pena em um sexto”, explicou a delegada Edenilza Viana, titular da delegacia.

Ela diz que até o momento, desde quando a Lei de Crimes Ambientais passou a vigorar em sua nova configuração, a delegacia já instaurou pelo de dez a 15 inquéritos para apurar maus tratos e biocídio de animais domésticos em Teresina.

Por Maria Clara Estrêla

Fonte: Portal o Dia

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.