Foto: Arquivo OCP News

Protetora que cuida de 70 cães pede ajuda para não ser despejada em Jaraguá do Sul, SC

Com 70 cães em sua casa, que foram retirados da rua depois de terem sido abandonados ou maltratados, Maria Tereza de Oliveira, moradora do bairro Braço Ribeirão Cavalo, passa por necessidades e corre o risco de ser despejada da propriedade em que vive de aluguel.

Dona Maria, como é conhecida, procurou a rede OCP News na última quinta-feira (8), para pedir ajuda e solidariedade da população jaraguaense.

Com três aluguéis e quatro faturas de energia elétrica em atraso, ela diz que recentemente a dona da casa que aluga a visitou. “Ela disse que não vai mais perdoar os atrasos e eu não sei para onde ir com meus cachorros”, conta.

Depois de cinco meses desempregada, Maria conseguiu trabalho como diarista, mas ela garante que o valor que recebe é insuficiente para cuidar de todos os animais. “Estou sofrendo muito com essa situação”, diz emocionada.

A Associação Jaraguaense Protetora dos Animais (Ajapra), em parceria com a Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente (Fujama), tomaram alguns cuidados com os cães de Dona Maria, garantindo que eles fossem vermifugados, vacinados e até mesmo castrados para evitar novas crias.

A diarista explica que chove muito dentro do canil onde os animais ficam, o que faz com que eles e amontoem apenas em um canto. Além disso, 40 deles vivem dentro da casa dela, pois, segundo Maria, estão fragilizados ou não se dão bem com os demais cachorros.

“Eu já tentei deixar todos eles juntos, mas, quando voltava para casa eles tinham brigado”, comenta Maria. “Alguns cães morreram por causa de brigas”, acrescenta.

“Gostaria muito que as pessoas adotassem eles, pois, já sofreram demais”, apela. Ela ainda se emociona ao falar sobre uma fêmea que já está sem os dois olhos. “É a minha ‘menina’ mais especial”, ressalta.

Ajuda municipal

Segundo o presidente da Fujama, Normando Zitta, as duas feiras de adoção realizadas pela Ajapra e pela Prefeitura de Jaraguá do Sul, foram com animais que moravam com Dona Maria. “Na primeira contagem que fizemos, ela tinha 104 cães e na última 71”, explica.

Outras duas feiras já estão programadas, uma na Agropecuária Toddi, no dia 17 de agosto e outra no Parque Linear Via Verde, no dia 25. “Nós vamos fazer quantas feiras for necessário para aliviar a situação dela”, completa.

Quem quiser ajudar Dona Maria, seja adotando algum dos cães, com ração, ou dinheiro, pode procurá-la na rua Francisco Greter, sem número, no bairro Braço Ribeirão Cavalo ou entrar em contato através do telefone (47) 9 9638-3068.

Por Dielin da Silva

Fonte: OCP

Protetor não é acumulador: cuidado com essa construção especista!

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.