Protetores denunciam envenenamento de mais três gatos no Bairro Gutierrez, em Belo Horizonte, MG

Protetores denunciam envenenamento de mais três gatos no Bairro Gutierrez, em Belo Horizonte, MG
Suspeita é de envenenamento, o que configura o crime ambiental previsto por Lei federal (Foto: Movimento Mineiro pelos Direitos Animais / Divulgação)

O Movimento Mineiro pelos Direitos Animais (MMDA) denunciou nesta quarta-feira a matança de mais três gatos, no Bairro Gutierrez, na Região Oeste de Belo Horizonte. Os animais são cuidados e alimentados por protetores da região.

Os animais foram achados nas ruas Benjamin Jacob e Fernando Feio, mesmo local em que outros quatro gatos foram encontrados mortos dias 25 e 26 de dezembro. Os protetores acrescentaram ao Boletim de Ocorrência registrado em dezembro as informações, fotos e vídeos sobre os três gatos e dois pombos. Um dos felinos foi levado para necropsia na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

A suspeita é de envenenamento, o que configura o crime ambiental previsto na Lei federal 9.605/98, art. 32 e Lei MG 22.231/2016. Vale ressaltar que quem pratica ato de abuso, maus tratos, que fere e/ou mutila animais silvestres, domésticos, nativos ou exóticos pode ser penalizado com detenção de três meses a um ano e multa.

“Estamos denunciando e pedindo apuração e punição para quem maltrata, tortura e mata animais. Pedimos também à população que denuncie esses agressores. A lei 22.231/2016, que prevê punição para maus tratos a animais, foi regulamentada em dezembro e precisa ser aplicada. Há anos estamos lutando e continuamos batalhando pela execução da lei estadual 21.970 de 2016 que dispõe sobre o manejo ético de cães e gatos prevenindo e combatendo o abandono e o descontrole populacional de cães e gatos”, afirmou Adriana Araújo, líder do MMDA, por meio de texto.

Após a conclusão do laudo oficial sobre causa da morte dos gatos, com a comprovação do envenenamento, o caso deve ser encaminhado à Delegacia Especializada de Investigação de Crimes Contra a Fauna.

Por Larissa Ricci

Fonte: EM

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.