Provedor da RTP é contra as touradas mas não pressiona direção do canal

Provedor da RTP é contra as touradas mas não pressiona direção do canal
Foto: Henriques da Cunha / Global Imagens

O Provedor do Telespectador da RTP (Rádio e Televisão de Portugal) assume-se contra a transmissão de touradas pela estação pública mas garante que não vai exercer pressões para que as mesmas deixem de ser transmitidas, alegando um “conflito de legitimidades” e remetendo eventuais mudanças para o Parlamento.

Foi numa resposta escrita enviada aos subscritores de uma petição que pede o fim da transmissão de touradas na RTP, que Jorge Wemans indicou que não irá “pressionar o diretor de programas que erradique as touradas do ecrã”, salvaguardando que estará “atento” a que o número de transmissões não ultrapasse as atuais três por ano.

“Estamos perante um conflito de legitimidades quanto à proibição de transmissões de touradas pelo serviço público de televisão. (…) Não me cabe qualquer dúvida de que a instituição à qual compete representar a vontade dos portugueses é a Assembleia da República. Pelo que, até se conseguir que os deputados mudem de posição sobre o assunto, não irei exigir a interdição de tais transmissões”, lê-se na nota.

A posição é exposta numa resposta enviada aos telespectadores que assinaram um texto modelo da plataforma anti-touradas Basta, dirigido ao Provedor do Telespectador e ao presidente do Conselho de Administração da RTP. A mensagem padronizada, que pode ser personalizada por cada subscritor, visou demonstrar “indignação” e “oposição” à transmissão de mais uma tourada na RTP”, no passado dia 11 de outubro, “por se tratar de um espectáculo polémico, violento, que promove maus tratos e sofrimento aos animais”.

“Lembro que já existem alternativas, nomeadamente canais dedicados à tauromaquia para o público aficionado, e não concordo que a violência contra animais possa ser considerada ‘serviço público'”, lê-se na mensagem, que solicita que a “RTP se abstenha de transmitir corridas de touros no futuro, respeitando a opinião da esmagadora maioria dos seus telespectadores”.

Fonte: JN / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.