Quadrilha acusada de caça de animais silvestres é presa pela Polícia Ambiental em Uberaba, MG

Quadrilha acusada de caça de animais silvestres é presa pela Polícia Ambiental em Uberaba, MG

Armas artesanais foram apreendidas com os acusados.

Por Juliano Carlos

Denúncias anônimas levaram policiais da Polícia Ambiental a prenderem seis homens acusados de caça de animais silvestres na área rural de Uberaba.

As prisões aconteceram em uma mata que fica em uma estrada vicinal às margens da rodovia BR-050, sentido Uberaba/Delta, quando segundo informações do sargento PM Leandro de Paula, os militares receberam denúncias anônimas que homens estavam realizando caça de animais silvestres. Eles foram até a vicinal e viram o veículo Volkswagen Kombi de cor branca que estava parado na estrada.

Os policiais iniciaram rastreamentos pela mata e depararam com um suspeito que estava com dois cães fazendo a caça de animais silvestres. Eles abordaram o suspeito que foi identificado como J.S.S., 32 anos. Eles questionaram o suspeito que confessou a prática da caça de animais e disse que estava em companhia de mais cinco acusados que estavam na mata a procura de animais silvestres.

Eles continuaram as buscas e prenderam os acusados identificados como M.A.S., 37 anos, E.M.S., 46 anos, E.C.R., 46 anos, E.A.S., 48 anos, e um adolescente de 17 anos. Com eles os policiais apreenderam armas artesanais e fisgas de metais com cabos de madeira, além de um berrante tipo corneta e mais 24 cães usados na caça, sendo que cinco cães estavam lesionados. Os policiais questionaram os suspeitos que confessaram a prática de caça de animais e disseram ainda que os animais que estavam feridos tinham sido lesionados durante confrontos com javalis, capivaras e um tamanduá bandeira que estavam na mata.

Cães

Apreendidos. Os cães foram apreendidos e levados para fazendas próximas onde receberiam tratamentos. Já os acusados de caça de animais silvestres e formação de quadrilha foram levados para a delegacia e apresentados ao delegado de plantão Luis Tortamano para esclarecimentos.

Fonte: Jornal de Uberaba

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.