EUA fotos tubarao H1

Qual dessas duas fotos de tubarão te assustaria mais?

Por Aisling Maria Cronin / Tradução de Alice Wehrle Gomide

EUA fotos tubarao

A popularidade de filmes que mostram os tubarões em uma perspectiva negativa – como “Tubarão” e a série “Sharknado” – fez com que estes animais fossem associados ao terror, à violência, e à brutalidade incontrolada na imaginação pública. Muitas pessoas tem uma reação automática de medo sempre que a palavra “tubarão” é mencionada em sua presença. O aumento da invasão humana nos territórios dos tubarões significou que os números de ataques realmente aumentaram em certas áreas dos EUA. Entretanto, a realidade é que os tubarões têm muitos mais motivos para terem medo dos humanos do que nós deles.

Nossa espécie mata aproximadamente 100 milhões desses animais todos os anos, pela pesca em excesso, poluição oceânica, e o comércio das barbatanas de tubarão. Algumas espécies de tubarão já testemunharam uma chocante queda de 98% em números nos últimos quinze anos, enquanto que a organização Shark Foundation atualmente classifica mais de duzentos tipos de tubarão como ameaçados de extinção. Alarmantemente, a fundação diz que “mais de 100 das 400 espécies de tubarão estão sendo exploradas comercialmente, e muitas dessas espécies são tão exploradas que até mesmo sua sobrevivência em longo prazo não pode mais ser garantida”.

Se permitirmos que os tubarões desapareçam, isto poderá ter sérias implicações na sobrevivência de nosso planeta como um todo. Estes animais desempenham um papel chave na luta contra a mudança climática, ao consumirem peixes menores que se alimentam da vegetação do oceano que armazena carbono. Nas áreas onde os números de tubarões já caíram drasticamente, suas presas – como alguns tipos de raias – se tornaram abundantes em excesso, consumindo uma quantidade maior da vegetação que acumula carbono. Quando somente um por cento dessa vegetação é perdida, 460 milhões de toneladas de carbono são liberadas para a atmosfera – o equivalente às emissões geradas por 97 milhões de carros!

O fotojornalista e ativista ambiental Paul Hilton, que trabalha há tempos para aumentar a conscientização sobre os problemas críticos de conservação que nosso planeta enfrenta hoje, recentemente destacou o problema iminente da extinção de tubarões – e duas de suas fotos, em particular, deveriam nos dar muito a se pensar.

Qual foto é mais assustadora? Esta, que mostra um grupo de tubarões nadando em seu habitat natural?

EUA fotos tubarao2

Ou esta, que revela ao que muitos destes tão necessários e extremamente inteligentes animais marinhos são tristemente reduzidos, em nome de uma sopa de barbatana de tubarão?

EUA fotos tubarao3

Ajuda para os tubarões

Então, podem os tubarões ser salvos? Existem sinais positivos de que as coisas podem estar caminhando na direção certa. A sopa de barbatana de tubarão tem sido tradicionalmente considerada uma iguaria muito procurada na China, mas um número de recentes campanhas de conscientização social no país vem chamando a atenção ao terrível número de vítimas que o prato causou na população mundial de tubarões. Como resultado disso, a percepção pública está mudando. Em 2014, foi relatado que as vendas de barbatanas nos mercados de Guangzhou – o centro do comércio de barbatanas de tubarão na China – caíram 82%. Ano passado, a transportadora UPS se comprometeu a acabar com o transporte de barbatanas de tubarão, se unindo a companhias tais como Philippine Airlines e DHL. Apesar do aumento da pressão de preocupados membros do público, entretanto, a transportadora FedEx ainda não se comprometeu da mesma forma.

Outra causa principal das mortes desnecessárias de tubarões é a pesca em excesso. Enquanto procuram por peixes como atum, bacalhau ou peixe-espada, redes de arrastão comerciais de grande escala comumente pegam e matam um alto número de tubarões e outros animais marinhos. O grupo de conservação oceânica Sea Shepherd estimou que “50.000.000 de tubarões são capturados acidentalmente por causa da pesca de atum e peixe-espada usando longas linhas, redes, rede de cerco e redes de espera”. A boa notícia é que todos nós temos o poder de acabar com este massacre desnecessário simplesmente deixando os peixes de fora dos nossos pratos. Estima-se que uma pessoa pode salvar mais de 225 peixes por ano simplesmente decidindo não comer frutos do mar – se cerca de 40% dessas capturas são feitas acidentalmente (espécies que não são alvos como tubarões, golfinhos e pequenas baleias), então ao deixar os peixes de fora do seu prato, você estará salvando os tubarões por associação.

Fonte: One Green Planet

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.