Quatro golfinhos escapam de parque marinho onde estavam presos em Taiji, no Japão

Quatro golfinhos escapam de parque marinho onde estavam presos em Taiji, no Japão
Fotos: Rui R/M.Olson

Imagine se você fosse um golfinho e ficasse preso sem ter feito nada errado… Você passaria todos os seus dias atrás de grades com outros presos miseráveis.  Às vezes eles se tornam agressivos contra você devido às suas próprias frustrações por estarem tão confinados. Mas, por que a liberdade deles foi tirada? Porque você proporciona o chamado ”entretenimento público”.

Infelizmente, esta é a realidade de muitos golfinhos e outros cetáceos. Mas, pelo menos, quatro golfinhos estão fazendo justiça com suas próprias barbatanas. Com uma façanha incrível, quatro golfinhos escaparam de uma instalação recreativa chamada DolphinBase, na cidade de Taiji, no Japão. Taiji é internacionalmente conhecida pela cruel caça aos golfinhos que acontece todos os anos entre os meses e setembro e março, quando um grande número de golfinhos selvagens são levados para uma pequena enseada. A partir daí, eles são abatidos para o consumo da carne ou capturados manualmente para instalações cativas, como o DolphinBase.  Os quatro golfinhos que escaparam tinham entre três e cinco anos e foram treinados para nadar com os turistas em cercados da instalação na praia.  Eles foram mantidos em cativeiro por mais de seis meses mais de seis meses, infelizmente.

Os quatro golfinhos escaparam depois que os funcionários do DolphinBase encontraram suas redes cortadas. Fujam, golfinhos, fujam!

Fotos: Rui R/M.Olson

A polícia local não sabe quem está por trás do incidente. Mas, infelizmente, três dos golfinhos estão de volta ao recinto, enquanto um deles continua perdido. Esperamos que ele nada para longe, muito longe!

Não é de admirar que esses quatro golfinhos tenham aproveitado a oportunidade para escapar do DolphinBase no momento em que tiveram a chance. O golfinho, que é o segundo animal mais inteligente, depois do ser humano, é um dos poucos que pode aprender coisas novas ao longo de sua vida e, em seguida, ensinar essas novas habilidades aos seus descendentes. Mesmo que possa parecer uma ideia pura, não nade com golfinhos, tampouco incentive seus amigos e familiares a fazer o mesmo. Não apoiar parques marinhos parques marinhos e saber por que há esperança para o desaparecimento da indústria de cativeiro também são grandes passos.

Junte-se ao movimento #EmptyTheTank (Esvazie o tanque) nas redes sociais e compartilhe este artigo.

Por Michelle Neff / Tradução de Elisângela Gomes da Silva

Fonte: One Green Planet 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.