Quatro membros da mesma família são sentenciados por operarem fábrica de filhotes nos EUA

Quatro membros da mesma família são sentenciados por operarem fábrica de filhotes nos EUA

Por Aaron Parseghian / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Os quatro membros da família Mio, condenados por operar uma fábrica de filhotes, foram sentenciados no último dia 16 no 23º Tribunal Regional do Condado de Oscoda.

Marido e mulher, Bradford e Pennie Quick, e suas filhas Noraela e Danielle, se declararam culpados nas duas acusações de abandono ou crueldade de dez ou mais animais.

As acusações ocorreram em dezembro, quando investigadores fizeram uma batida na propriedade e resgataram mais de 50 cães e animais de fazenda que estavam vivendo em péssimas condições.

Pennie a as duas filhas foram sentenciadas a um ano de liberdade condicional, durante o qual elas devem realizar serviço comunitário completo, e estão proibidas de possuir um animal novamente.

Bradford recebeu a sentença mais rigorosa, que inclui cinco anos de condicional, 500 horas de serviço comunitário e uma proibição de possuir qualquer animal novamente para sempre.

Antes da sentença, organizações ativistas dos direitos dos animais da região escreveram cartas para o promotor pedindo que este procurasse as sentenças mais rigorosas possíveis dentro da lei, e acharam que seria justo que Bradford fosse sentenciado a nunca mais possuir um animal.

“Ele mudaram sua condicional para cinco anos, com uma restrição sobre animais pelo resto de sua vida. Eu nunca tinha visto uma sentença que incluísse a restrição de possuir animais pelo resto da vida do condenado. Eu fiquei muito feliz com isso, está criando um precedente em Michigan com certeza”, diz Pam Sordyl, fundadora do Puppy Mill Awareness (Conscientização sobre as Fábricas de Filhotes) de Michigan.

Se encontrado violando qualquer termo de sua condicional, Bradford pode ser preso; ele e sua mulher Pennie também devem pagar uma restituição de US$25.000 para a American Society for the Prevention of Cruelty to Animals (Sociedade Americana pela Prevenção da Crueldade com Animais).

Fonte: WBKB

MAIS NOTICIAS

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.