Quatro morcegos foram encontrados caídos esse ano em Araucária, PR

Quatro morcegos foram encontrados caídos esse ano em Araucária, PR
Foto: Divulgação

Já nos primeiros dias de 2017, quatro morcegos já foram encontrados caídos no chão na região central de Araucária. Três deles foram encontrados na Rua Francisco Dranka e um em frente à Praça Dr. Vicente Machado. Todos foram encaminhados para análise do Laboratório Central do Estado (Lacen) para verificar se havia contaminação pelo vírus da raiva.

Em 2016 a cidade identificou um morcego caído em região urbana com a doença e em 2015 foram dois casos. Por isso, o Centro de Controle de Zoonoses, alerta aos moradores para que não toquem caso encontrem o animal. A precaução também é válida para os animais de estimação, que não devem ser deixados em contato com morcegos, pois caso estes estejam contaminados, podem transmitir o vírus.

Alguns sinais da doença geralmente estão associados a sintomas ou hábitos não comuns dos morcegos, como por exemplo, estar com dificuldade para voar, agressividade, desorientação, voos de dia (o normal seria à noite) ou caído no chão. A raiva é uma doença grave que afeta o sistema nervoso central e pode levar à morte.

O CCZ solicita que se alguém encontrar um morcego caído no chão, entre em contato com o serviço para que seja recolhida uma amostra do animal e seja encaminhada para análise. O ato é importante para que os possíveis casos sejam notificados e ações de saúde pública sejam organizadas. A primeira orientação é que a pessoa coloque um balde em cima do animal para que ele possa posteriormente ser recolhido pela equipe de saúde.

“Precisa haver o cuidado de não pegar o animal nas mãos, pois ele pode arranhar ou morder instintivamente. Lembrando que é normal esses animais voarem no céu e estarem em seu habitat. O problema incide se forem em ocasiões suspeitas. Não devemos capturá-los ou matá-los só por maldade. Nem todos estão contaminados com a raiva e eles são importantes para o equilíbrio da fauna e da flora, pois ajudam a espalhar sementes e no controle de insetos”, ressalta o médico-veterinário Jessé Henrique Trupel.

Se alguém tiver contato por acidente com esse mamífero, deve lavar bem o local ferido e procurar uma unidade básica de saúde para obter atendimento. A Secretaria de Estado da Saúde (SESA) registrou o último caso de raiva humana no Paraná em 1987. Em 2005 foi notificado um caso de raiva canina/felina no estado (no ciclo urbano, no ciclo silvestre o vírus continua circulando em animais como morcegos).

Serviço

Mais informações podem ser obtidas com o CCZ pelo telefone 3901-5286. O endereço do serviço é Estrada Municipal DT 606, Nº 303, Roça Nova.

Fonte: Bem Paraná


Nota do Olhar Animal: Não mate, chame ajuda contatando o órgão ambiental ou de saúde de sua cidade.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.