Quatro são detidos em Manaus por usarem curiós para atrair mais pássaros

Quatro são detidos em Manaus por usarem curiós para atrair mais pássaros

O Batalhão Ambiental suspeita que o grupo iria apreender as aves atraídas com o canto dos curiós e depois vender.

Por Nathane Dovale

AM manaus 54973d660cbe5

Seis pássaros da espécie curió foram apreendidos e quatro homens detidos pelo Batalhão Ambiental da Polícia Militar, na manhã deste domingo (21), próximo ao residencial Eliza Miranda, no Distrito, zona sul de Manaus. Segundo o tenente Alan Patrick, do Batalhão Ambiental, a apreensão ocorreu após denúncias.

A suspeita do batalhão é de que quatro pássaros estavam sendo usados para atrair outros curiós. “A pessoa que denunciou contou que há mais de um mês vinha presenciando alguns homens se reunindo próximo ao condomínio. Eles deixavam os pássaros cantando, porque o canto do curió atrai outros pássaros, então suspeitamos que a ideia era atrair outros curiós para apreender e depois vender”, explicou.

Ao chegarem no local, o batalhão encontrou cinco pessoas com seis curiós, sendo que apenas dois pássaros tinham anilhas de fiscalização do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama).

“Esta espécie de ave é anilhada desde que sai do ovo. Não existe a desculpa de que a autorização do pássaro está em casa. Quando nascem, os curiós recebem um anel de identificação preso ao pé, com um número”, disse o tenente.

Conforme o Batalhão Ambiental, estes pássaros são usados como ‘iscas’ para atrair outros e que cada curió, quando vendido, custa cerca de R$ 5 mil. “É um negócio lucrativo para estes infratores. Enquanto os aves ficam passarinhando na mata, outros vão sendo atraídos para depois serem levados também”.

Os homens foram encaminhados para o 3º Distrito Integrado de Polícia (DIP), localizado no bairro Petrópolis, zona sul, onde assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e depois foram liberados.

“Quando apreendemos encaminhamos para a delegacia no qual o próprio delegado irá procurar uma instituição para destinar os animais. Porém, pode também devolver os pássaros aos acusados da infração, como sendo ‘fiel depositário’. Assim, ele precisará apresentar em juízo. Ou seja, acaba sendo um prêmio ao infrator”, explicou.

Segundo o tenente Alan Patrick, as aves ficarão sob responsabilidade da polícia, que definirá para onde elas serão levadas.

O tenente alertou para denúncias de crimes ambientais, que segundo ele, são necessárias para se evitar novos crimes.

“Pedimos que caso as pessoas vejam qualquer espécie de prática de crime ambiental, ligue para o 190 ou para nossa linha direta, 98842-1547. Essas denúncias ajudam mais ainda nosso trabalho e podem libertar animais que estão sendo maltratados”, disse.

Fonte: D24am

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.