Quatro são presos por caça ilegal em áreas de preservação no interior do Amapá

Quatro são presos por caça ilegal em áreas de preservação no interior do Amapá
Ação encontrou homens armados em áreas proibidas para caça e pesca — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Ação conjunta da Polícia Civil e do Instituto Chico Mendes de Preservação da Biodiversidade (ICMBio) identificou práticas criminosas de caçadores dentro de áreas proibidas para captura no oeste do Amapá. Realizada ao longo de uma semana, a fiscalização prendeu 4 pessoas com armas de fogo e apreendeu 131 quilos de carne de animais silvestres.

O período da ação foi entre 22 e 28 de fevereiro com o balanço final divulgado nesta sexta-feira (12). As patrulhas percorreram os rios Amapari, Araguari e afluentes, através dos limites da Floresta Nacional do Amapá (Flona) com a Floresta Estadual do Amapá (Flota) e área sudeste do Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque.

Os quatro presos foram detidos pela Delegacia de Polícia de Serra do Navio. Eles foram enquadrados por crimes contra a fauna e flora e por porte ilegal de arma de fogo.

A carne recolhida foi de animais silvestres como paca, jacaré e a ave mutum. Os agentes encontraram ainda acampamentos de caçadores, garimpos e pista de pouso ilegais.

O delegado de Serra do Navio, Wenderson Braga, explicou que a parceria vem realizando ações para garantir também a proteção dos ninhos de tracajás, que desovam nas praias formadas ao longo dos rios durante o período de estiagem.

“Garimpeiros e caçadores ainda insistem em crimes contra a fauna e flora. Ação conjunta busca dar cabo a essas práticas na esfera criminal e na administrativa, tendo sido lavrado alguns autos de infração, alguns materiais apreendidos, como armas de fogo, caça e apetrechos para pesca”, detalhou.

Captura ilegal foi coibida pelos policiais — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.