Raio mata 48 bois que se abrigavam embaixo de árvores durante temporal

Raio mata 48 bois que se abrigavam embaixo de árvores durante temporal
Foto: Divulgação/Djalma Santana

Uma tragédia abalou a Fazenda do Planalto na última segunda-feira (25), quando 48 bois de engorda foram atingidos por uma descarga elétrica enquanto buscavam abrigo sob árvores durante um forte temporal. A propriedade, situada a 75 km de Palmas, enfrentou chuvas intensas que começaram por volta das 16h.

O tutor do gado, Djalma Santana, relatou que os animais, assustados com a tempestade, tentaram se abrigar embaixo de árvores, especificamente pés de manga. O resultado foi devastador, com 48 bois mortos devido à descarga elétrica. Santana, chocado com a perda, estimou um prejuízo financeiro de cerca de R$ 150 mil.

Essa não é a primeira vez que raios atingem o gado na propriedade, mas nunca antes ocorreu uma tragédia dessa magnitude. Santana expressou sua preocupação com as outras 300 cabeças de gado que ainda estão na fazenda, temendo novos prejuízos. “Estamos procurando algum jeito de evitar esses danos causados por raios, porque está demais. Estou assustado. Os outros estão correndo risco aqui no pasto“, desabafou o produtor.

O gerente da Fazenda do Planalto informou Santana sobre o incidente no dia seguinte, acrescentando uma nota triste à temporada de chuvas na região. Agora, a comunidade local se mobiliza para oferecer suporte ao produtor e discutir medidas preventivas para proteger o gado durante eventos climáticos como o que aconteceu. O episódio destaca a vulnerabilidade dos animais de fazenda diante de fenômenos naturais, gerando um alerta para a necessidade de estratégias eficazes de proteção em propriedades rurais. Escrito por Compre Rural.

Fonte: Compre Rural


Nota do Olhar Animal: A exploração animal não comporta medidas de proteção aos animais. As mortes decorrentes de descargas elétricas são recorrentes, mas pensar em criar uma estrutura para proteger os bichos nem passa pela cabeça daqueles que os cria para matá-los mesmo.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.