Reino Unido: crianças exibem imagens de animais mortos e parlamentar pede mudança na lei sobre estilingues

Reino Unido: crianças exibem imagens de animais mortos e parlamentar pede mudança na lei sobre estilingues
Imagens de estilingues foram compartilhadas em grupos do WhatsApp

Um membro do parlamento (MP) pediu ao ministro do Interior que considerasse a introdução de sanções à venda ou utilização irresponsável de estilingues para matar ou prejudicar a vida selvagem, na sequência de uma investigação da Sky News.

VÍDEO: Crianças matando animais com estilingues

O relatório expôs uma rede em todo o Reino Unido na qual crianças – algumas em idade escolar – têm compartilhado imagens e fotos dos animais que matam em grupos de WhatsApp.

Aviso: esta história contém imagens e descrições que os leitores podem achar angustiantes.

Embora não seja ilegal comprar ou carregar um estilingue, causar sofrimento desnecessário a um animal já é uma ofensa na Lei do Bem-Estar Animal de 2006.

A Lei da Vida Selvagem e do Campo de 1981, que protege aves selvagens e alguns animais na Inglaterra e no País de Gales, também lista armas que uma pessoa não deve usar para matar um animal. No entanto, os estilingues não estão incluídas nessa lista.

VÍDEO: Investigação da Sky News mencionada na Câmara dos Comuns

Na quinta-feira dia 14 de março, o MP Henry Smith, vice-presidente do Grupo Parlamentar de Todos os Partidos para o Bem-Estar Animal, levantou na Câmara dos Comuns se o secretário do Interior, James Cleverly, consideraria mudanças na lei.

 Henry Smith MP. Foto oficial.
Henry Smith MP. Foto oficial.

“Nas últimas semanas tenho trabalhado com a Sky News na investigação sobre a compra e uso indevido de estilingues, infelizmente, com demasiada frequência, por crianças e jovens para matar e mutilar animais selvagens e animais de estimação”, disse ele.

“E com muita frequência, vídeos [desses incidentes] são compartilhados nas redes sociais por meio de canais como o WhatsApp”.

“Podemos receber uma declaração do ministro do Interior sobre a introdução de sanções criminais para a venda e utilização irresponsável de estilingues para matar e danificar a vida selvagem?”

A líder da Câmara, MP Penny Mordant, disse que informaria o Sr. Cleverly sobre a questão.

“Este é um fenômeno perturbador e crescente”, disse ela.

“E além de causar sofrimento aos animais, é também, como sabemos agora, um indicador do que esses perpetradores podem vir a fazer e de outros crimes que possam cometer”.
“É um assunto sério e agradeço ao honorável cavalheiro por abordá-lo.”

A Sky News descobriu quase 500 membros de grupos de estilingues no WhatsApp, nos quais foram compartilhados mais de 350 fotos e vídeos de animais que foram mortos ou feridos com essas armas.

Uma imagem de um cervo morrendo devido a um ferimento de estilingue foi compartilhada
Uma imagem de um cervo morrendo devido a um ferimento de estilingue foi compartilhada

Em alguns vídeos, animais feridos foram mostrados morrendo lentamente após serem atingidos por estilingues manuais.

Em outros, jovens foram vistos chutando e maltratando os animais depois de atirar neles – além de posarem segurando seus cadáveres.

A RSPCA descreveu o material dos grupos como “horrível” e alertou que se tratava de uma “tendência emergente”.

Os ataques “doentios” suscitaram apelos por uma mudança na lei, uma vez que os estilingues não são classificados como armas ilegais e podem ser comprados e carregados legalmente.

Os animais visados incluem porcos, veados, pombos, raposas, esquilos, faisões, coelhos, gansos e patos – com uma instituição de caridade dizendo ter visto um aumento “exponencial” no número de aves com ferimentos por estilingue.

O WhatsApp disse que o material compartilhado nos grupos de estilingue era contra seus termos de uso.

Um porta-voz do aplicativo de mensagens disse à Sky News: “Respondemos às solicitações das autoridades com base na lei e na política aplicáveis”.

Um porta-voz do governo do Reino Unido disse: “O governo sabe claramente que os estilingues não devem ser usados para fins ilegais, seja contra pessoas, vida selvagem ou propriedade, e é um crime transportá-los em público sem autoridade legal ou desculpa razoável”.

“Continuamos a manter toda a legislação relevante sob revisão no interesse da segurança pública”.

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: Sky News

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.