Reino Unido proíbe venda de cães e gatos em lojas de animais

Reino Unido proíbe venda de cães e gatos em lojas de animais

As lojas de animais vão deixar de poder vender crias de gatos e cães, no Reino Unido. O governo britânico aprovou uma lei que tem como objetivo final combater as quintas de procriação intensiva de crias para fins comerciais.

De acordo com o documento aprovado, será apenas permitida a venda de cães e gatos com mais de seis meses, pelo menos em lojas. Isto quer dizer quaisquer vendas a terceiros destes animais estão agora proibidas, o que significa que, para obter um cachorro ou um gatinho no Reino Unido, será agora preciso negociar diretamente com o criador ou com um centro de adopção.

A medida foi avançada este domingo pelo secretário de Estado do Bem-Estar Animal, David Rutley que afirmou que esta é a forma de garantir aos animais de estimação um “direito a um começo de vida correcto”. “Peço aos que estão a pensar em comprar um cachorro ou qualquer outro animal nesta altura do ano que pensem bem antes de o fazer”, disse Rutley, citado pelo jornal britânico The Guardian.

Fonte: CM Jornal / mantia a grafia lusitana original


Nota do Olhar Animal: Impedir que os animais sejam comercializados, que sejam tratados como mercadoria, é uma ótima medida. Mas ela precisa ser estendida aos canis, pois o problema não é ONDE os animais são vendidos e sim a venda em si, a objetificação dos bichos e todos os danos dela decorrentes.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.