Resgatando o último dos unicórnios: como você pode ajudar a salvar o cervo em perigo que ninguém sabe que existe

Resgatando o último dos unicórnios: como você pode ajudar a salvar o cervo em perigo que ninguém sabe que existe

Por Kim Berkley / Tradução de Alda Lima

O saola, criticamente ameaçado, não é conhecido como o “unicórnio asiático” à toa. Grande criatura habitante da floresta, que percorre exclusivamente as Montanhas Annamite do Vietnã e do Laos, o Saola é tão tímido quanto raro — e sem uma mudança drástica de circunstâncias, pode ser extinto em apenas 10 a 15 anos.

Descoberto apenas 24 anos atrás, durante uma pesquisa realizada pelo Ministério Florestal do Vietnã e pela WWF, o Saola só foi fotografado um punhado de vezes e jamais foi observado na natureza por um biólogo. Nenhum zoológico tem Saolas também, pois nenhum sobreviveu ao cativeiro por muito tempo. Sua natureza esquiva fez com que fosse extremamente difícil definir estimativas populacionais, mas pelo que os cientistas sabem sobre a espécie, as coisas não estão boas para o Saola. Apenas algumas centenas, ou talvez até mesmo poucas dezenas, podem ainda restar. De acordo com William Robichaud, Coordenador Fundador do Saola Working Group do IUCN e coordenador do Saola Program Coordinator da Global Wildlife Conservation, “O saola agora pode ser o grande mamífero mais ameaçado do mundo”.

Uma batalha difícil

Vários obstáculos se interpõem entre o Saola e sua sobrevivência. Enquanto o desmatamento na forma de derrubadas de árvores e a invasão das populações humanas têm contribuído para a perda de habitat na região do Annamite, a principal ameaça que os saolas enfrentam é a caça furtiva. Muitas vezes apanhados como captura acessória por caçadores que procuram outras espécies (como javalis ou veados muntiacos), o Saola também tem sido alvo como carne para a alimentação e por seus chifres. Os Saola são particularmente vulneráveis ​​aos cães de caça e armadilhas de arame.

Outro grande problema para o Saola é seu próprio reservatório genético diminuindo. Devido à sua população escassa e a maneira pela qual ele está distribuído — pressupõe-se que Saolas vivam em várias pequenas subpopulações espalhadas pelas montanhas — endogamia genética e falta de oportunidades de acasalamento podem estar impedindo a espécie de se reproduzir rápido o suficiente para combater a extinção.

A situação é tão grave, que estudos indicam que, mesmo se toda a caça aos saolas cessasse imediatamente, não seria suficiente para salvar a espécie sem tomar medidas de conservação adicionais.

Talvez o maior perigo de todos, no entanto, seja a negligência. Apesar de ser uma das espécies mais ameaçadas do mundo, o Saola simplesmente não tem a mesma presença na mídia como, por exemplo, pandas ou tigres. E a falta de atenção significa menos fundos para esforços de pesquisa e conservação tão necessários. Organizações como a WWF-Vietnã e o Fundo de Conservação Saola têm trabalhado duro para melhorar a situação por meio da educação e de esforços diretos, incluindo o estabelecimento de reservas como o Parque Nacional de Vu Quang para ajudar a proteger a população saola. Desde que estes esforços começaram em 2007, mais de 130.000 armadilhas de arame foram removidas das terras protegidas e, a partir de 2015, pelo menos 1.000 campos de caça furtiva e de exploração madeireira foram desmantelados por guardas florestais.

No entanto, a luta continua. Os caçadores continuam voltando, os madeireiros continuam criando novos campos e os números de saolas continuam diminuindo. O tempo ainda não se esgotou completamente, no entanto. Se agirmos agora, ainda podemos ser capazes de salvar o saola da extinção.

Como ajudar

Você pode visitar a página da campanha “Salve o Saola da WWF-Vietnam” para aprender mais sobre a organização e sua causa, criar um perfil opcional, espalhar a consciência, e doar para a causa. (Se você não falar vietnamita, não se esqueça de clicar na opção de idioma inglês, no canto superior direito da página!) Ou, vá para o website do Saola Working Group para ficar em dia com os esforços em curso e para doar para o Fundo de Conservação do Saola.

Mais importante ainda, espalhe a informação! Os esforços de conservação até agora têm sido muito restritos devido à imprensa e ao apoio público limitados. Ajude o Saola a receber a atenção que eles merecem compartilhando este artigo, bem como os links das organizações acima com amigos, família, e qualquer outra pessoa disposta a ouvir. Se você tem inclinações artísticas, desenhe, pinte, cante ou escreva sobre o Saola e compartilhe sua arte e conhecimento com o mundo. Se você tem seu próprio negócio, considere doar parte ou a totalidade de seus lucros por um determinado período de tempo para a causa. Coloque panfletos em quadros de avisos, escreva postagens em fóruns, inicie petições — o que quer que se adapte melhor ao seu estilo de comunicação. Fale, e não tenha medo de falar alto.

Fonte: One Green Planet

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.