Restaurante usa maconha como sedativo para que lagostas não sintam dor ao ser preparadas

Um restaurante em Seawall (Maine, EUA) está usando maconha como sedativo para aliviar as dores das lagostas durante o seu preparo. Charlotte Gill, dona do Charlotte’s Legendary Lobster Pound, disse que sempre fica mal quando os crustáceos vão para a água quente e que resolveu agir.

Agora, os clientes mais sensíveis podem optar por um tanque com infusão de erva. O primeiro teste da técnica foi feito com uma lagosta chamada Roscoe. Segundo Charlotte, o animal ficou mais calmo ao ser posto em água com maconha.

“Se vamos tirar uma vida, temos que ter a responsabilidade de fazê-lo da forma mais humana possível”, disse a empresária à imprensa local.

Ela garante que os clientes não sentem o efeito da maconha na iguaria servida. Para os que desejam a preparação da lagosta à moda antiga, o restaurante continua de portas abertas.

Mas Charlotte, que se proclama defensora dos animais, diz esperar que já no próximo ano todos os clientes optem pelo preparo mais “humano” das lagostas.

Por Fernando Moreira 

Fonte: Extra


Nota do Olhar Animal: Dois aspectos chamam à atenção nesta notícia. O primeiro, o reconhecimento de que estes animais sofrem. O segundo, a hipocrisia dos que, mesmo sabendo disso, impõe tortura e morte aos bichos e buscam refúgio moral em medidas de “bem-estar”.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.