Rinha: cães achados em sítio de Itu (SP) estavam acorrentados e separados

Rinha: cães achados em sítio de Itu (SP) estavam acorrentados e separados
Cães da raça pit bull ficavam acorrentados e separados um do outro. Divulgação / ASPA

A fundadora da ONG Aspa (Associação de Socorro e Proteção aos Animais de Itu), Patrícia Gollitsch Daunt, afirmou nesta terça-feira (17) que os 33 cachorros da raça pit bull encontrados pela polícia em um sítio em Itu, no interior de São Paulo, estavam acorrentados e distantes uns dos outros.

Foi a polícia quem procurou a ativista. “Chegando lá, eu encontrei uma situação lamentável. A gente se segura para não cair no choro porque a gente vê os animais acorrentados, pedindo carinho, e a sensação é de não poder fazer nada”, revelou Patrícia Daunt.

O local seria propriedade de um dos homens detidos em uma chácara em Mairiporã, na Grande São Paulo, onde pit bulls eram utilizados em rinhas internacionais. Segundo a Polícia, os investigadores foram até o local após receberem uma denúncia anônima de que havia um grande número de cachorros no sítio.

Segundo a fundadora da ONG Aspa, havia no local cães doentes, animais silvestres, até uma esteira de treinamento foi encontrada. Foram localizados também medicamentos e um tambor perfurado, que seria usado para transporte dos animais, além de um local para rinha.  

A Aspa Itu já tem 400 animais e não poderia acolher os pit bulls que precisam de tratamento específico. Os cães foram direcionados para outras instituições em Indaiatuba, São Paulo, Mairiporã e Americana. 

A Polícia Civil de São Paulo encontrou, na última segunda (16), cerca de 33 cães da raça pit bull em um sítio na cidade de Itu (SP). Entidades de proteção animal foram chamadas para auxiliar na retirada dos animais. – Foto: ASPA Itu
O local seria propriedade de um dos homens detidos durante uma rinha de cães em Mairiporã. -Foto: ASPA Itu
Investigadores foram até o local após denúncia anônima e não há informações sobre presos na operação. – Foto: ASPA Itu
Os cachorros estavam amarrados em correntes e espalhados por todo sítio. – Foto: ASPA Itu
Alguns deles presos em cerca, já que não podem ficar próximos um do outro . – Foto: ASPA Itu
Muitos deles encontram-se fracos e doentes. – Foto: ASPA Itu
Além de medicamentos, uma esteira e uma arena para a realização de rinha de cães. – Foto: ASPA Itu
Além de medicamentos, uma esteira e uma arena para a realização de rinha de cães. – Foto: ASPA Itu
Os cães foram divididos entre os voluntários e seguem para São Paulo, Indaiatuba, Mairiporã e Americana. – Foto: ASPA Itu

Por Andrea Giusti e Joyce Ribeiro

Fonte: R7

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.