Rio vai ganhar um açougue vegano com coxinha de jaca premiada

Rio vai ganhar um açougue vegano com coxinha de jaca premiada

O Rio de Janeiro vai ganhar seu primeiro açougue vegano! Isso mesmo, um açougue sem carne, o Açougue Vegano, um nome curioso para os leigos e encantador para quem não consome alimentos – nem derivados – de origem animal. Trata-se da apropriação brasileira das lojas de itens veganos artesanais dos Estados Unidos e que a partir de janeiro começará a funcionar na Barra da Tijuca.

A marca foi criada por dois amigos. A chef de “culinária saudável” e vegana Michelle Rodriguez e o empreendedor e admirador do cardápio, chef Celso Fortes. O açougue será diferenciado por também disponibilizar todos os produtos na internet. Uma forma que os idealizadores encontraram para agilizar o acesso aos produtos e cardápios.

Será possível encontrar hambúrgueres com blends especiais, linguiças de origem vegetal, além da premiada coxinha de jaca que foi escolhida como a “Melhor Coxinha 2016” da SVB – conta Celso Fortes.

A marca vai garantir a entrega dos produtos em toda a cidade e no mesmo dia. Aliás, quem não conhece o cardápio vegano terá a oportunidade de experimentar um dos projetos do açougue, o Vegano Social Clube, restaurante itinerante que promoverá uma imersão no cardápio completo para os veganos e admiradores.

Dez por cento da população do Rio se declara adepta a alimentação vegetal, mas ainda assim sofrem para encontrar locais que vendam produtos dessa natureza. Agora não será mais assim – afirma a chef Michelle Rodriguez.

Inclusive o Açougue Vegano vai lançar um projeto de assinatura. O sistema inovador vai permitir que os amantes dessa cozinha tenham acesso ao cardápio com mais facilidade, comodidade e recorrência em sua casa.

Ninguém mais vai ter desculpa para não ter uma alimentação saudável e consciente – afirma o chef Fortes.

Evento

O evento de pré-lançamento será no dia 21 de janeiro, no restaurante Balanceado (Casa Shopping). Para participar, é preciso acessar o site e se inscrever.

Por Quintino Gomes Freire

Fonte: Diário do Rio

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.