Rússia: Capital deve ganhar cabine para abandono de animais

Rússia: Capital deve ganhar cabine para abandono de animais

Cães e gatos colocados em compartimento especial seriam coletados por especialistas. Apesar de iniciativa facilitar busca de animais abandonados, abrigos em Moscou já enfrentam superlotação.

Russia Moscou compartimento

Compartimentos especiais onde os moscovitas poderão deixar um animal de estimação indesejado devem ser instalados em breve na capital russa como parte de uma iniciativa para impedir as pessoas de abandonar animais na rua.

Ativistas de direitos dos animais sugeriram instalar boxes para animais semelhantes às “rodas de bebês” da Idade Média, em que os pais podiam deixar um recém-nascido não desejado de forma anônima e sem repercussões legais.

“Vemos constantemente donos de animais de estimação jogando seus bichinhos na rua, onde estão condenados a morrer lentamente”, diz Svetlana Ilianskaia, presidente do Centro de Proteção aos Animais. “Seria melhor se eles deixassem os animais em compartimentos especiais, onde especialistas poderiam resgatá-los e prestar ajuda.”

A deputada Irina Ilitcheva, que representa Moscou, garante que os boxes irão aliviar significativamente o trabalho dos serviços de busca de gatos e cães desabrigados.

Para Tatiana Razumovskaia, que trabalha no jardim zoológico de Moscou, o importante é que as cabines tenham vários compartimentos para evitar brigas entre os animais.

“Os compartimentos não devem ter dimensões menores que um metro de comprimento e um metro de altura, com ventilação e luzes baixas”, diz a zoóloga.

Mas nem todos os ativistas apoiam a ideia. “Ok, as pessoas vão deixar seus bichinhos nas cabines, mas e depois? Os abrigos para animais em Moscou estão superlotados”, afirma Irina Novozschilova, presidente do Centro VITA para Proteção Animal.

Fonte: Gazeta Russa / The Moscow Times 

Nota do Olhar Animal: Uma ação para preservar a vida e a integridade dos animais ou um incentivo a irresponsabilidade de tutores? Medida polêmica… 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.