Mara se prepara para ser transferida para o Brasil — Foto: Santuário de Elefantes/Divulgação

Santuário anuncia chegada de nova elefanta em Chapada dos Guimarães, MT

Uma nova elefanta deve chegar no Santuário de Elefantes, em Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá, conforme um anúncio publicado na página da instituição, na semana passada. Atualmente, Mara, de cerca de 50 anos, vive no Ecoparque, em Buenos Aires, e deve ser transferida ao Brasil no fim deste mês.

“Os rumores são verdadeiros, há outro elefante chegando ao Santuário de Elefantes Brasil, mas não é quem você pensa. Gostaríamos de lhe apresentar a Mara. Ela será a próxima aliá asiática a ser transferida para o SEB. Ela é uma pequena elefanta gorducha que nós absolutamente adoramos”, diz

De acordo com o Santuário, a caixa de transporte de Mara já chegou no zoológico de Buenos Aires, as licenças de importação e exportação de Mara também já estão concluídas, mas ela ainda precisa passar por uma preparação que deve dura 30 dias.

Atualmente, Mara vive no Ecoparque, antigo zoológico de Buenos Aires — Foto: Divulgação
Atualmente, Mara vive no Ecoparque, antigo zoológico de Buenos Aires — Foto: Divulgação

Na Argentina, a elefanta tem divido o habitat com outras duas elefantas africanas. No entanto, elas não compartilham o mesmo espaço.

Antes de ser transferida para o Ecoparque, Mara era um elefante de circo e apresenta uma história de agressividade, segundo o Santuário.

Mara deve ser acolhida no Santuário de Elefantes, em Chapada dos Guimarães — Foto: Santuário de Elefantes/Divulgação
Mara deve ser acolhida no Santuário de Elefantes, em Chapada dos Guimarães — Foto: Santuário de Elefantes/Divulgação

A instituição afirmou que, apesar de estar com alguns machucados nas patas, ela está bem de saúde.

“É um grande projeto e estamos entusiasmados que sua transformação progressiva signifique que Mara se junte às nossas meninas no santuário”, ressalta.

Mara vai poder se juntar a Maia, Rana e Lady, elefantas que já foram acolhidas pelo Santuário. A primeira moradora do local, Guida, e a penúltima, Ramba, morreram no ano passado.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.