Secretaria do Meio Ambiente de Londrina (PR) doa animais de grande porte

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Sema) está doando animais de grande porte como bovinos, equinos e muares. Podem recebê-los os pequenos proprietários rurais cadastrados na Sema, que tenham propriedade de, no máximo, 10 alqueires, em Londrina. Cada interessado pode adotar até três animais a cada dois anos.

Esses animais estavam soltos em vias públicas e foram recolhidos pelo Município. Seus donos tiveram até 10 dias, a contar da data de apreensão, para buscá-los, mas não os recolheram dentro do prazo e não pagaram o auto de infração e apreensão. Por isso, o animal foi encaminhado para a doação. A autuação custa R$ 250 por animal mais R$ 6,17 a diária. Se ela ocorrer pela segunda vez, a multa é cobrada em dobro e, caso seja feita à noite, sofrerá um acréscimo de 75% no valor.

Segundo dados da Gerência de Fiscalização da Sema, somente em janeiro deste ano foram apreendidos 13 animais, sendo que destes, oito foram doados. Durante todo ano de 2016 a secretaria apreendeu 190 bichos e, dentre eles, 26 foram doados. Para a próxima semana há dois animais que, caso os donos não busquem, serão colocados para doação.

O proprietário que teve seu animal apreendido deve procurar a sede da Sema, que fica na Rua da Natureza, 155, dentro do Parque Arthur Thomas, de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h. Lá ele pagará as taxas e poderá retirar seu animal, se estiver dentro do prazo.

Como se cadastrar

O pequeno proprietário rural que quiser se cadastrar para adotar um cavalo ou uma égua, por exemplo, deve levar pessoalmente as cópias de documentos pessoais (RG e CPF), do registro do imóvel (escritura ou o CAD/PRO) e um comprovante de residência, ao setor de Protocolo da Secretaria de Ambiente. O cadastro é gratuito.

No cadastro, os técnicos elencam tanto os animais quanto os interessados por ordem cronológica de registro. Segundo a secretária municipal de Ambiente, Roberta Queiroz, essa medida é necessária, porque os bichos apreendidos geram custos ao Município e quando doados podem auxiliar nos trabalhos do pequeno produtor rural.

“Os cavalos e éguas geram ônus ao município porque precisam de um local e uma alimentação adequados. Através da política de trabalho e renda é feita a doação aos pequenos proprietários rurais, que utilizarão os animais nos trabalhos desenvolvidos em sua propriedade rural, além disso, com eles os animais terão um ambiente adequado para viverem”, explicou.

Quando doados, os novos tutores podem buscá-los pessoalmente e, caso não tenham um veículo adequado para o transporte desses animais, a empresa terceirizada responsável pelos cuidados com os bichos, se encarrega de levar até a pequena propriedade rural.

Fonte: Bonde 


Nota do Olhar Animal: Lamentável que os animais, que já foram vítimas de algum tipo de maltrato e da irresponsabilidade de tutores, sejam encaminhados para onde continuarão sendo explorados, condenados a uma pena perpétua de trabalhos forçados. Um santuário administrado por ONGs de proteção animal, onde os animais pudessem viver sem exploração, seria uma boa solução.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.