Secretário admite que peixes do Aquário do Pantanal podem ser abatidos

Secretário admite que peixes do Aquário do Pantanal podem ser abatidos

Imasul estuda medidas para manter peixes vivos.

Por Aline Machado

CampoGrande peixes aquario

O secretário estadual de Meio Ambiente do MS, Jaime Verruck, disse em entrevista ao Jornal, Folha de São Paulo, que os peixes que deveriam povoar o Aquário do Pantanal, obra que em cálculos não oficiais custou R$ 170 milhões aos cofres públicos do Estado, podem ser abatidos.

Os peixes estão em quarentena desde novembro de 2014. Em maio a Anambi Análise Ambiental, empresa contratada no governo de André Puccinelli (PMDB) para cuidar dos peixes, anunciou que mais de dez mil animais haviam morrido.

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) atribui às mortes à incapacidade técnica da empresa e no dia 29 de junho rescindiu o contrato com a Anambi, que chegou a receber R$ 3 milhões, do total de R$ 5,2 milhões firmados na gestão anterior.

Uma Comissão foi criada para estudar o que pode ter provocado a morte do animais. A princípio a suspeita é de que eles não tenham resistido à baixa temperatura. O caso também está sendo apurado pelo MPE (Ministério Público Estadual), que também investiga o valor gasto com a obrra.

Com rompimento do contrato o Imasul (Instituto Estadual do Meio Ambiente) assumiu a quarentena dos animais. Até o momento não há uma data específica para a entrega dos tanques.

O secretário estadual de Meio Ambiente, afirmou que “no limite”, caso esse prazo se prolongue, pode doar os animais, despejá-los em um tanque maior ou “até abater e distribuir a carne”, disse o secretário de meio ambiente.  

Na próxima semana o imasul deve entregar um relatório sobre as situação dos peixes,estrutura de armazenamento, além das medidas que devem ser adotadas para que os animais sejam mantidos vivos.

Fonte: Midiamax

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.