Sem ter como pagar gastos hospitalares, tutores abandonam animais no HVU

Sem ter como pagar gastos hospitalares, tutores abandonam animais no HVU
Dívida faz com que donos abandonem animais no Hospital Veterinário Universitário (Fotos: Assis Fernandes/ O Dia)

O Hospital Veterinário da Universidade Federal do Piauí (HVU) é referência no Estado em atendimento a animais que necessitam de cuidados hospitalares. No entanto, é comum o abandono de animais por tutores que estão inadimplentes com o hospital. A dívida é gerada por causa dos procedimentos veterinários que são realizados nos animais ao serem internados para receber cuidados médicos. 

Atualmente, quatro cães estão recebendo cuidados dos veterinários e funcionários do hospital, enquanto aguardam a quitação dos débitos dos tutores. Contudo, segundo a médica veterinária Francisca Barros, esse número já chegou a níveis alarmantes. “Esse número não está maior porque entramos em contato, constantemente, com esses proprietários e negociamos para que eles venham buscar os animais, ou então disponibilizamos alguns deles para adoção”, explica.

Ao internar um animal no Hospital Veterinário, o tutores assume a responsabilidade financeira por todos os procedimentos que serão realizados para restituir a saúde do animal. Caso o animal não seja recebido pelo tutor e a dívida não seja paga após sete dias da alta hospitalar, constitui-se o abandono, de acordo com o art. 32 da lei 19.605, e o dono fica com dívida ativa na União, podendo, inclusive, ser impedido de assumir cargo público através de concurso.

“Nós entendemos que muitos animais são trazidos até o hospital por protetores, que vêm esses animais em situação de rua e trazem para fazer o tratamento. Só que o papel do protetor não é apenas de trazer o animal, se ele chega aqui para internar o animal e assina a ficha assumindo a responsabilidade financeira, ele também deverá arcar com os custos dos procedimentos”, ressalta a médica veterinária, Francisca Barros.

A cadela Sabrina é um dos animais abandonados no hospital. Ela foi recebida no HVU há, pelo menos, sete meses para realizar tratamento de uma lesão ortopédica decorrente de um atropelamento. Contudo, após receber alta hospitalar, por conta do débito, o tutor não retornou para levá-la para casa e a cadelinha encontra-se no hospital esperando adoção.

Sabrina está no HVU há cerca de sete meses e está esperando adoção
Sabrina está no HVU há cerca de sete meses e está esperando adoção

“A Sabrina tem cerca de sete anos e já se adaptou ao problema dela. Ela consegue andar, mas precisa estar em um local onde possa se movimentar para se recuperar da lesão. Como aqui é um hospital e não temos pessoal suficiente para fazer esse acompanhamento, de levá-la para passear e dar esse acompanhamento que apenas um proprietário pode dar, ela está isolada com outros animais, no ambiente de internação”, conta.

A veterinária explica ainda, que ao ficar em um ambiente hospitalar, em contato com outros animais que possuem algum tipo de doença, o animal que recebeu alta e foi abandonado pelo tutor pode readquirir a doença pela qual foi tratado ou até mesmo adquirir novos problemas de saúde. “Assim que o animal recebe alta, ele deve voltar para casa, porque aqui ele está correndo o risco de ter uma recaída ou até mesmo de pegar outras doenças infectocontagiosas”, afirma Francisca Barros.

Por Nathália Amaral / Edição Virgiane Passos

Fonte: Portal o Dia 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.