Sem voar o dia todo após atingir muro, arara-canindé preocupa, em Campo Grande, MS

Sem voar o dia todo após atingir muro, arara-canindé preocupa, em Campo Grande, MS
Filhote de arara-canindé está há cerca de seis horas em cima de poste residencial (Foto: Eduardo Augusto Gutierrez/Direto das Ruas)

No alto de um poste de energia elétrica residencial, arara-canindé tem chamado atenção de moradores da Rua Flanklin Espíndola, no Bairro Taveirópolis, nesta sexta-feira (25). A preocupação tem sido com o bem estar do animal, que segundo o aposentado Eduardo Augusto Gutierrez, de 59 anos, não consegue sair do lugar há cerca de horas.

“Foi pouco antes das 8h, ela ‘trompou’ no muro, caiu em fios de alta tensão, conseguiu se soltar, mas não conseguiu voar”, relata o morador.

De lá para cá, a arara chegou a receber alimentação de outro animal da mesma espécie, de tamanho maior. Preocupado, Eduardo, assim como outros moradores da região, fez contato com equipes do Centro de Reabilitação de Animais Silvestres e também da PMA (Polícia Militar Ambiental).

A maior preocupação dos moradores é saber se a ave sofreu algum tipo de ferimento ao bater em muro.

Segundo ele, equipe de resgate da PMA chegou a ir ao local, porém, identificou que o animal, ainda filhote, está em período de aprender a voar.

A reportagem também entrou em contato com Polícia Militar Ambiental, que confirmou a situação. Segundo o Coronel Edmilson Queiroz, o processo para que uma arara filhote voe pode ser demorado. “Às vezes os pais ficam até mais de um dia para trazer alimento”, explicou. O animal será monitorado.

Filhote chegou a receber alimento de arara adulta. (Foto: Eduardo Augusto Gutierrez/Direto das Ruas)

Por Liniker Ribeiro 

Fonte: Campo Grande News

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.