Setembro tem 1.250 vagas em mutirão de castração gratuita de cães e gatos em Curitiba, PR

Setembro tem 1.250 vagas em mutirão de castração gratuita de cães e gatos em Curitiba, PR
Rafael Silva/SMCS

Começam nesta terça-feira, 6 de setembro, os agendamentos para o mutirão de castração gratuita de cães e gatos da Prefeitura de Curitiba para o mês de setembro. Os interessados devem entrar no site da Rede de Proteção Animal, na área de eventos, a partir das 12h.

Os atendimentos acontecem de 26 de setembro a 1º de outubro na Rua da Cidadania da Regional Boqueirão, no Carmo, e fazem parte da doação da empresa SV Castramóvel, que apresentou carta de intenção, publicada no Diário Oficial do Município de 5 de agosto de 2022.

“Seguimos os trâmites necessários quando nos foi ofertada a doação. Trata-se de um serviço importante, parte da nossa política pública de proteção animal no atendimento à população e combate ao abandono de cães e gatos nas ruas”, lembra o diretor de Pesquisa e Conservação da Fauna, Edson Evaristo.

Podem participar das cirurgias cães e gatos de ONGs, protetores independentes e tutores elegíveis, moradores dos bairros da Regional Boqueirão, com animais entre cinco meses e oito anos. Serão disponibilizadas 1.250 mil vagas. Os interessados devem estar com os cadastros em dia junto à Rede e atender aos requisitos de participação.

Procuração eletrônica

Para atender à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e resoluções do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), o site da Rede de Proteção Animal agora permite indicar quem será o acompanhante do animal no dia da cirurgia, se o responsável não puder comparecer.

“É uma espécie de “procuração eletrônica” direto pela tela de agendamento”, explica Evaristo.

Além da legislação, lembra o diretor, todos os animais atendidos pelo programa recebem microchip eletrônico de identificação, com código exclusivo vinculado aos dados do cidadão responsável pelo animal.

Animais sob os cuidados de protetores ficam com seus dados vinculados ao que levam para castração até que sejam devidamente transferidos ao novo responsável quando adotados. “Se for constatado uso indevido, por exemplo, para reserva e cessão de vagas, poderá haver a suspensão do acesso ao benefício”, alerta Evaristo.

Fonte: Bem Paraná

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.