Sob risco de extinção, tamanduá-bandeira é flagrado atravessando a MS-112

Sob risco de extinção, tamanduá-bandeira é flagrado atravessando a MS-112

Um tamanduá-bandeira foi visto atravessando a MS-112, que liga Inocência a Cassilândia, cerca de 300 km de Campo Grande, na manhã desta sexta-feira (22).

O servidor público estadual Emílio Cezar, de 40 anos, usou o canal Direto das Ruas, do Campo Grande News, para enviar o registro da travessia do tamanduá na rodovia. O leitor conta que há poucas placas sinalizando a travessia de animais e que é frequente ver os bichos no caminho, mas o mais triste é vê-los mortos por atropelamento frequentemente nas vias.

“Na rodovia aqui tem anta, tamanduá, pessoal sempre atropela. Acho que é preciso fazer uma campanha educativa para não atropelar os animais”, conta Emílio.

Procurada pelo Campo Grande News, a PMA (Polícia Militar Ambiental) conta que já existem projetos para conscientização dos condutores e principalmente as crianças, futuro condutores sobre a importância do cuidado com os animais nas vias.

Um exemplo de conscientização é o Projeto Florestinha, que já tem quase 12 mil alunos. O projeto leva stands com fantoches, animais empalhados e outros elementos recreativos nas escolas.

Falando de atropelamentos, questões das rodovias e principalmente trabalhando os motoristas de amanhã.

Ressaltam que em algumas rodovias mais problemáticas como a BR- 262, que liga Miranda e Corumbá, foram implantadas diversas lombadas eletrônicas para minimizar estes problemas de atropelamento.

O major Ednilson Queiroz, da PMA, conta que este trabalho é de longo prazo. Os projetos de rodovias já devem começar pensando no fator ecológico e não só econômico.

Ver onde as espécies de animais existentes do local atravessam, para que possa colocar telas, passagens aéreas e tuneis para travessia de diferentes espécies de animais.

MS Campogrande tamanduabandeira 2

Fonte: Campo Grande News

MAIS NOTICIAS

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.