Sob risco de ser interditada, ONG pede ajuda para manter 220 animais

Sob risco de ser interditada, ONG pede ajuda para manter 220 animais

A Instituição Guarda Animal, que abriga 220 gatos e cachorros que foram abandonados em Campo Grande [MS], está na mira do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) e precisa fazer melhorias na chácara que abriga os bichos para que o local não seja interditado.

 

 

De acordo com a responsável pela ONG (Organização não Governamental), Paola de Sousa, de 31 anos, as autoridades exigiram melhorias na estrutura do espaço em que os animais vivem, como a construção de baias para separar em grupos. Mas a situação financeira dificulta a situação, tornando quase impossível fazer o que pedem com tanta urgência.

“Eles sabem que nós não temos ajuda do Poder Público. Já entregamos as documentações das contas para o Ministério Público, já entregou para o Tribunal da Justiça, para o Governo, para a Prefeitura, mas não houve repasse de verba. Estão cobrando melhorias que a gente não tem de onde tirar”, declara Paola.

Segundo ela, recentemente, alguns cachorros sofrem reação alérgica da grama, tendo dermatite, fora que precisam de quase R$45 mil para conseguirem atualizar a vacina de todos que abrigam e possuem dívidas nas clínicas veterinárias que atendem os cachorros resgatados com ferimentos ou infestados de parasitas.

“Tem que ter água, tem que ter luz, tem que ter ração para eles, as vacinas deles, os 200 animais estão atrasados. A gente precisa de ajuda do poder público para resolver isso. Precisamos de ajuda para construir as baias, fazer fossa, a gente precisa dedetizar a chácara, a gente precisa de ajuda para vacinar todos eles”, destaca.

O prazo que está vigente é de 15 dias e o grupo teme não conseguir fazer as melhorias pedidas e não terem para onde levar todos os cães e gatos que vivem na propriedade. Para quem deseja ajudar, o Pix é o e-mail institutoguardaanimal@gmail.com ou pelo site Vakinha (clique aqui). 

Por Kamila Alcântara

Fonte:  Campo Grande News