Sobe para 30 o número de capivaras abatidas em condomínio de Itatiba (SP), diz síndico

Sobe para 30 o número de capivaras abatidas em condomínio de Itatiba (SP), diz síndico
Capivaras são atraídas em armadilha para abate em condomínio de Itatiba. — Foto: Divulgação

Subiu para 30 o número de capivaras abatidas em um condomínio de Itatiba (SP) após uma determinação da Secretaria Estadual do Meio Ambiente. Um morador do local morreu por febre maculosa, doença transmitida pelo carrapato-estrela, que tem como hospedeira a capivara.

Em entrevista ao G1 nesta quarta-feira (19), o síndico do condomínio, José Augusto da Silva, explicou que a primeira armadilha para os animais foi armada no dia 10 de maio e, nesta área, foram abatidas 20 capivaras.

Na última segunda-feira (17), foi armada a segunda armadilha, em outro ponto do condomínio, e, com isso, até esta quarta-feira (19), mais 10 animais foram eutanasiados.

Síndico explica que abate de capivaras de condomínio de Itatiba foi uma determinação da Secretaria do Meio Ambiente. — Foto: Reprodução/TV TEM

“Eu estimo que agora faltem, no máximo, cinco capivaras para serem capturadas, totalizando 35. Esse processo demora, porque depende delas entrarem na armadilha, que tem cana-de-açúcar dentro”, explica o síndico.

abate das capivaras está sendo realizado por uma empresa contratada pelo condomínio e que é especializada neste tipo de serviço.

Opção legal

A morte por febre maculosa de um morador do condomínio foi registrada em janeiro do ano passado. Desde então, para evitar que mais pessoas sejam infectadas, placas alertando sobre o risco da doença foram colocadas no local.

Das cerca de 40 capivaras que devem ser abatidas, 13 já foram mortas. — Foto: Reprodução/TV TEM

Enquanto isso, o síndico aguardava a decisão da Secretaria de Meio Ambiente com relação ao que seria feito com as capivaras.

Segundo José Augusto, autorizações deste tipo, para eutanásia de animais, costumam sair em uma média de dois anos, mas o órgão antecipou a determinação para o condomínio por causa da morte registrada.

“Não existe outra opção legal. A área de risco virou área de transmissão, daí foi determinado para a gente que não poderia migrar os animais para outro lugar e não seria permitido fazer a castração. A determinação foi o abate total da população de capivaras”, explica.

O assunto divide opiniões entre especialistas e moradores do condomínio. O síndico, inclusive, se reuniu com alguns moradores contrários ao abate na manhã desta quarta-feira para esclarecer alguns pontos da situação.

“Eu disse para eles que, se me trouxessem outra solução legal, a gente estudaria. Mas o que tem sido feito foi determinado que a gente fizesse”, enfatiza o síndico.

Mesmo assim, órgãos de proteção animal recorreram ao Ministério Público, que notificou a Secretaria de Meio Ambiente. A pasta garante que não recebeu a determinação.

Vídeo: Em menos de 24 horas, mais 10 capivaras são abatidas em condomínio de Itatiba.

Aval da Secretaria de Meio Ambiente para abate de 40 capivaras de condomínio gera polêmica em Itatiba. — Foto: Reprodução/TV TEM

Por Natália de Oliveira

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.