Sociedade demanda Conselho de Proteção dos Animais em Ubatuba, SP

Sociedade demanda Conselho de Proteção dos Animais em Ubatuba, SP

Por Renata Takahashi

SP Ubatuba sociedade conselho protecao

Ubatuba pode ganhar um Conselho de Proteção dos Animais, espaço de encontro permanente entre Estado e sociedade civil para tratar de políticas públicas em favor dos bichos. Cobrar do Executivo que envie o projeto de lei criando o conselho foi um dos encaminhamentos da audiência pública realizada na última quinta-feira (25) na Câmara Municipal.

Convocada com objetivo principal de pedir a volta das castrações em cães e gatos realizadas pela Prefeitura, diversas outras demandas da “causa animal” foram manifestadas durante a audiência.

Na mesa, estavam Johnnie Baruffaldi, do bazar dos animais, Carlos Rocha, protetor independente, Eulália Salete Pisa, presidente da Associação Protetora dos Animais da Região Sul (Apasu Ubatuba), Jorge Ribeiro, coordenador da Vigilância em Saúde representando a Secretaria de Saúde, Potiguara do Lago, representando a Secretaria de Turismo e os vereadores Reginaldo Fábio de Matos (PT) e Flavia Comitte do Nascimento (PDT).

Castrações

O coordenador de Vigilância em Saúde Jorge Ribeiro disse que em uma semana a Prefeitura estará retomando as castrações.“A gente vai fazer um novo cronograma e vai estabelecer critério socioeconômico”, informou.

Carlos Rocha espera que sejam oferecidas mais do que as 20 castrações semanais que a Prefeitura vinha fazendo por meio do convênio com a Biosaúde, cuja quebra por força judicial foi o que levou à paralisação do serviço.“Tinha que ser no mínimo de 30 a 40 castrações por dia”, defendeu o protetor.

Segundo Salete, a Apasu realiza 20 castrações semanais apenas na região sul de Ubatuba, com ajuda da comunidade e realização de eventos.“Não faço mais porque não temos verba”, afirmou, apontando que o custo de cada cirurgia varia de 70 a 100 reais, dependendo do porte do animal.

Ribeiro não soube dizer ainda quantas castrações mensais o município vai passar a oferecer, e chamou atenção para a necessidade de conscientização sobre tutela responsável. O representante da Secretaria de Turismo, Potiguara do Lago, se comprometeu a estudar a criação de uma campanha em pontos turísticos de Ubatuba.

Fogos de artifício

O protetor independente Carlos Rocha levantou a questão dos fogos de artifício e seus impactos aos animais, entre cães, gatos, aves e outros. O assunto foi recentemente abordado por Guilherme Fluckiger na coluna “Fauna Tamoia”

No texto, além do barulho o colunista aborda os componentes químicos presentes nos fogos de artifício: “Entre os compostos estão a pólvora negra que também é utilizadíssima na indústria bélica, percloratos e outros compostos contendo Bário, Lítio, Estrôncio, Cobre, Titânio, Magnésio, entre outros, dependendo da cor e tipo de efeito produzido pelos fogos. Esses compostos fatalmente acabam indo para o mar, de um jeito ou de outro, e o lixo do resto das queimas aparece na praia nos dias seguintes da virada de ano.”

O vereador Reginaldo Fábio de Matos (PT) disse que já protocolou na Câmara o projeto de lei dos fogos silenciosos, que deve ser colocado para votação no legislativo em breve.

SP Ubatuba sociedade conselho protecao2

SP Ubatuba sociedade conselho protecao3

SP Ubatuba sociedade conselho protecao4

SP Ubatuba sociedade conselho protecao5

SP Ubatuba sociedade conselho protecao6

SP Ubatuba sociedade conselho protecao7

SP Ubatuba sociedade conselho protecao8

SP Ubatuba sociedade conselho protecao9

Fonte: InforMar Ubatuba

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.