Sofrendo maus-tratos: ativistas pedem o fechamento da exposição de arraias no Assiniboine Park Zoo, no Canadá

Sofrendo maus-tratos: ativistas pedem o fechamento da exposição de arraias no Assiniboine Park Zoo, no Canadá

Um pequeno grupo de ativistas dos direitos dos animais levantou cartazes do lado de fora do Assiniboine Park Zoo, no dia 30 de junho, pedindo que a exposição “Stingray Beach” fosse permanentemente fechada.

A exposição estava aberta há pouco mais de um mês, quando o zoológico anunciou que três arraias morreram e outras três ficaram feridas por causa de comportamento de acasalamento natural (ainda que agressivo) e fechou temporariamente a exposição interativa.

A exposição permite que os visitantes se aproximem de uma piscina rasa, toquem e alimentem os animais.

O Assiniboine Park Zoo disse que não pensa em fechar a exposição permanentemente. (Foto: Assiniboine Park Zoo)

 

A exposição permite que os visitantes se aproximem de uma piscina rasa, toquem e alimentem os animais.

Danae Tonge, organizadora do protesto, disse que as arraias são usadas para entretenimento.

“Elas são cutucadas, e isso não está certo. Elas não têm para onde ir para escapar das pessoas. O comportamento delas está sendo alterado, elas estão sendo maltratadas”, disse Tonge.

O Assiniboine Park Zoo disse que não pensa em fechar a exposição permanentemente, e a decisão sobre quando reabrir será feita com base no que é melhor para as arraias.

O Zoo disse que o comportamento de acasalamento foi visto na natureza selvagem e em cativeiro, e que as arraias estão se recuperando e recebendo tratamento.

O zoológico disse que machos e fêmeas já foram separados na piscina principal, que o comportamento de acasalamento diminuiu e que está reavaliando a situação diariamente.

Em comunicado à CTV News, a porta-voz do zoológico, Laura Cabak, disse que o zoológico fechou a exposição para dar à sua equipe uma oportunidade de fornecer tratamento e observar as arraias, sem influência externa, e implementar modificações em seu ambiente. 

“Nós assumimos a responsabilidade de cuidar desses animais com muita seriedade”, disse Cabak.

“O Assiniboine Park Zoo orgulha-se de fornecer cuidados líderes da indústria a todas as espécies vivas sob nossa administração. Como membro credenciado da Associação de Zoológicos e Aquários (AZA), somos parte de uma grande comunidade de organizações dedicadas à conservação, educação e pesquisa da vida silvestre e mantemos os mais altos padrões de bem-estar e cuidados com animais.”

“Nossos membros da equipe de cuidados com os animais e veterinários são profissionais altamente treinados e apaixonados pelo cuidado e conservação dos animais”.

O zoológico também disse que pelo menos um quarto de todas as espécies de arraias, um antigo grupo de peixes que pode ser encontrado em todo o mundo em água salgada e doce, está ameaçado de extinção, e a exposição oferece uma oportunidade de expandir as mensagens de conservação.

Em abril, antes da inauguração da exposição, foi dito que para garantir um ótimo ambiente de vida para as arraias, a exposição apresentava um sistema de filtração de água de última geração, monitoramento constante e instalações veterinárias próprias para check-ups regulares e atendimento especializado.

A manifestante Jessica Scott-Reid disse que as atitudes estão mudando e que as pessoas têm mais compaixão pelos animais.

No início deste mês, Ottawa aprovou uma lei para não permitir mais baleias e golfinhos em cativeiro em todo o Canadá.

“Os zoológicos são uma das principais instituições de nossa cultura, onde vemos animais silvestres em cativeiro numa frequência normal, e eu acho que as pessoas estão começando a ver que isso não é normal”, disse Scott-Reid.

Jon Bedder quer que sua filha, Rena, entenda o impacto que as pessoas têm no mundo natural e acredita que o zoológico está protegendo as arraias.

“Eu as alimentei uma vez. Eu estava com um pouco de medo … Elas são muito legais”, disse Rena.

“Tenho plena confiança de que eles estão mais preocupados com o bem-estar dos animais do que com o desempenho da exibição, disse Jon.

“Eu me sinto um pouco triste, por que por que elas merecem morrer, e por que lutam entre si por suas fêmeas?”, indagou-se Rena.

“Espero que abram novamente porque todo mundo parece gostar delas, na primeira vez que fui lá, havia uma fila enorme, todo mundo queria vê-las”, acrescentou.

Por Beth Macdonell / Tradução de Alda Lima

Fonte: CTV Winnipeg

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.