Somente castrações agendadas são feitas no Centro de Zoonoses de Tubarão, SC

A dona de casa Michele Ouriques, de Tubarão, é dona de dois cães que ela retirou das ruas. Um deles já foi castrado, mas o segundo está à espera da castração gratuita, já que ela afirma não possuir recursos para arcar com uma castração particular.

“Me preocupo não só com a castração do meu cachorro, mas com a quantidade de cães de rua na cidade. Se não forem castrados irão se proliferar ainda mais”, comenta.

De acordo com Gabriela Nunes Martins, coordenadora de Vigilância em Saúde de Tubarão, o Centro de Zoonoses conta atualmente com apenas um veterinário, que não consegue atender toda a demanda. “Estamos castrando os que já estavam agendados, e não estamos mais agendando. Por enquanto só estamos atendendo emergências e também os animais de rua e no cio. Vamos mudar a metodologia de agendamento, porque recebemos muitas pessoas de fora da cidade também e ainda algumas que teriam condições de pagar, o que acaba prejudicando quem não tem”, comenta.

Já foi aberto o chamado para um novo profissional e, segundo Gabriela, a partir do momento que vier um novo veterinário e que os agendamentos forem restabelecidos, desta vez na Central do Cidadão, os atendimentos conseguirão ser mais efetivos.

As castrações são gratuitas, mas Gabriela frisa que o Centro de Zoonoses não tem apenas esta atribuição. “Na realidade, o órgão tem como objetivo principal o controle de doenças em animais, bem como populacional deles, de modo a evitar a proliferação de doenças e preservar a saúde da população”, diz. “Temos hoje no Centro de Zoonoses animais machucados ou que precisam de alguma intervenção cirúrgica. É importante destacar também que não somos um canil”, diz.

Gabriela comenta que a prefeitura tem a intenção de buscar parcerias com instituições para poder atender a um número maior de animais. Mesmo com a agenda fechada, ela diz que quem precisar castrar seu animal pode entrar em contato com o Centro de Zoonoses, onde serão dadas todas as orientações.

Outros municípios

A Secretaria de Agricultura de Braço do Norte trabalha desde novembro do ano passado em um projeto de castração e microchipagem de cães e gatos. O programa acontece com a parceria da Unibave e já realizou o serviço em 171 cães e 19 gatos. Outros 146 cães e 46 gatos estão na lista para castração no município. O projeto prioriza pessoas de baixa renda da cidade. Em Imbituba, desde o início do ano, a Vigilância em Saúde também está realizando a castração de cães e gatos de rua. O programa prevê a castração, total, de 400 animais até o fim do ano.

Fonte: Diário do Sul

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.