SP: Após tratamento e com novo visual, cão de Mogi das Cruzes procura lar

SP: Após tratamento e com novo visual, cão de Mogi das Cruzes procura lar

Animal atacado por larvas e com tumor precisou até de quimioterapia. Resgatado por ONG, Dread ganhou nome por causa de pelo embaraçado.

Por Gladys Peixoto

SP mogi adocao

Quem vê o cachorro Dread saudável e com pelo tão fofinho não imagina o estado do cão quando foi resgatado por uma ONG de Mogi das Cruzes (SP). Depois de passar por vários tratamentos, incluindo quimioterapia, o animal que sofria de “bicheira” – causada por moscas varejeiras – e foi diagnosticado com um tumor, hoje já desfila por feiras de adoções à procura de um lar doce lar. O G1 mostrou a situação do cão em janeiro, quando ele foi resgatado das ruas.

“Reabilitado, o vacinamos e o castramos. Hoje Dread está super bem, recuperado de todo o mal que um dia o abandono lhe causou”, conta a bancária Fernanda Moreno, presidente da ONG Frente por Educação e Responsabilidade Animal (Fera). Ela diz que o animal ganhou esse nome por conta dos emaranhados de pelo que tinha pelo corpo. O cachorro vivia pelas ruas de Mogi das Cruzes e a entidade chegou até ele em janeiro deste ano.

SP mogi adocao1

Fernanda explica que uma amiga viu o cão que estava com um ferimento no nariz e os pelos emaranhados. A moça deu ração para o cachorro e o medicou. Em seguida tirou uma foto do animal e enviou para Fernanda. “Me comoveu tanto ver o estado dele que marcamos de ir no fim de semana seguinte procurá-lo. Era um domingo e rodamos por toda parte de carro, mas não o encontramos. Decidi então postar a foto dele e pedir ajuda nas redes sociais para localizá-lo. Três dias depois o localizamos, mas por pura coincidência.“

Ela diz que uma senhora viu o cachorro e foi à clínica em que uma amiga de Fernanda trabalha para ver que remédio poderia dar a ele. A mulher foi a primeira a ajudar. Então, Dread foi sedado para retirar as larvas, foi tosado e tomou banho. A ferida estava bem profunda e o animal estava magro e anêmico.

Segundo Fernanda, após receber alta, o cachorro foi para a casa da vice-presidente da ONG. Ele tomou por 15 dias a medicação, mas a ferida demorou a secar. Depois o cão foi levado a outra clínica. No local, uma veterinária levantou a hipótese do cachorro estar com um tumor venéreo transmissível (TVT).

Depois de alguns exames, o problema foi diagnosticado e uma veterinária de outra clínica começou o tratamento de quimioterapia. “Ele passou por seis sessões, sendo uma por semana. Só aí a ferida foi fechando. Com isso tudo, o tratamento durou cerca de cinco meses.” Depois de reabilitado, Dread foi vacinado e castrado.

SP mogi adocao2

Fernanda destaca que o TVT é muito comum em cães que ficam nas ruas, pois eles pegam por contato seja genital, ao cruzar, ou até mesmo pelo focinho ao se cheirarem.

“Os tumores nascem nos órgãos genitais ou nariz como foi o caso do Dread. Abre a ferida e ao pousar uma mosca os bichos devoram o animal vivo. E mesmo quando não pousam moscas, o tumor pode se espalhar pelo corpo e levar o animal a óbito.”

Ela calcula que o tratamento do cachorro entre exames, medicações, aplicações de quimio, mesmo com todos os descontos e ajuda deve ter chegado a R$ 500,00.

Nesse valor, ela não incluiu a alimentação do animal. Fernanda afirma não saber ao certo a idade, mas avalia que Dread é um cão jovem, com aproximadamente 3 anos.

O cachorro já começou a frequentar os eventos de adoção. Um deles ocorre aos sábados das 12h às 17h na Avenida Francisco Rodrigues Filho, 1550, Mogilar, em Mogi das Cruzes. Para adotar o interessado passará por uma entrevista, deverá assinar um termo de adoção e Dread será levado até a casa do adotante.

SP mogi adocao3

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.