SP: Rodovias do Tietê faz levantamento de recolha de animais silvestres

A concessionária fez um levantamento da quantidade de animais silvestres recolhidos mortos e vivos nas rodovias sob sua concessão.

O problema de atropelamento de animais silvestres parece fazer parte de todas as rodovias do país e as principais causas são de atropelamento, que muitas vezes, os animais saem de seu habitat natural e adentram às pistas. O total de janeiro a julho desse ano, foi de 122 animais encontrados mortos e 10 vivos. Ano passado, o número registrado foi maior, com 187 mortos e 19 vivos.

Diferentes espécies são vítimas desses acidentes, como tamanduás, cobras, lebres, capivaras, cervos, gambás, etc.

Os animais encontrados vivos são removidos pela polícia Ambiental e Corpo de Bombeiros, e em alguns casos, são afugentados pela equipe de inspeção de tráfego da Concessionária. Nos casos de animais mortos são removidos e sepultados pela equipe de inspeção.

A orientação é que todos os usuários que se depararem com a situação de acidente com animais e ou avistarem algum bicho nas rodovias, que façam contato através do 0800-7703322 para o Centro de Controle Operacional-CCO, para que sejam tomadas as devidas providências de remoção.

A Rodovias do Tietê é responsável pela manutenção e operação de 406 quilômetros de rodovias: Rodovia Marechal Rondon (SP 300), Rodovia Prof. João Hipólito Martins (SP 209), Rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença (SP 101), Rodovia Bento Antônio de Morais (SP 101), Rodovia Dr. João José Rodrigues (SP 113) e Rodovia Comendador Mário Dedini (SP 308) e Contorno de Piracicaba, Rodovia Ernesto Paterniani (SPI- 162/308).

Fonte: Intelog

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.