Superpopulação de veados preocupa cidades no Japão

Superpopulação de veados preocupa cidades no Japão
Turistas alimentam veados em Nara (Imagem: Bank Image)

Cidades que vêm protegendo os veados como um recurso turístico de patrimônio natural estão cada vez mais se esforçando para administrar a superpopulação desses animais.

As populações de veados em locais de Patrimônio Mundial da UNESCO e em suas áreas ao redor, tais como Miyajima (Hiroshima) onde está localizado o Santuário de Itsukushima e o Kasugayama Primeval Forest na cidade de Nara (província homônima), vêm causando problemas como, por exemplo, comendo as embalagens de bentôs dos turistas e danificando árvores.

Miyajima, em Hiroshima

Alguns municípios começaram a realizar medidas, como colocar uma limitação no ato de alimentar os veados e usar a captura para reduzir a população, mas não é fácil resolver a questão porque esses animais são amplamente reconhecidos como um símbolo de turismo em algumas áreas.

Como resultado, em 2008, o governo municipal de Hatsukaichi (Hiroshima) decidiu proibir que os visitantes alimentem os veados e instalou sinalizações referentes em 16 locais em Miyajima. Além disso, removeu imagens de veados dos panfletos de turismo da cidade e de outros documentos.

Parque de Nara

A população de veados no Parque de Nara aumentou de 500 em 1957 para 1.200, quando eles foram designados como um patrimônio natural nacional.

Desde o aumento, danos nas plantações locais causadas pelo ato de alimentar os veados se agravou. No Kasugayama Primeval Forest, local de Patrimônio Mundial da UNESCO localizado próximo ao Parque de Nara, os veados comem os brotos de árvores jovens, impedindo que elas se desenvolvam.

Para lidar com a situação, o governo da província de Nara decidiu dividir a cidade em 4 áreas e criar uma zona onde a caça aos veados será permitida a partir de abril.

Kashima, em Ehime

Em Kashima, uma ilha ao largo da costa de Matsuyama (Ehime), todos os veados serão mantidos em recintos a partir de março.

A ilha é pequena, com cerca de 1,5km de circunferência, e a população de veados é um recurso turístico valioso. No entanto, a quantidade de plantas do local diminuiu porque os veados se alimentam delas, o que acaba provocando deslizamentos de terra com frequência.

Para lidar com a situação, o governo municipal de Matsuyama criará um jardim de veados em março, onde manterá cerca de 80 animais e controlará a população ao segregar machos e fêmeas.

Fonte: MIE (Yomiuri)


Nota do Olhar Animal: Exploram os animais como “recurso turístico” sem se importarem com os danos causados. Ou até criarem uma situação extrema. Ao menos não estou cogitando o extermínio. Pelo menos não é o que indica a matéria.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.