Suspeito de esfaquear cão alega defesa em depoimento, diz polícia de Sorocaba, SP

Suspeito de esfaquear cão alega defesa em depoimento, diz polícia de Sorocaba, SP

Caso vai ser encaminhado ao Juizado Especial Criminal para avaliação. Cão foi resgatado e adotado por jovem após ser esfaqueado em Sorocaba.

SP Sorocaba cao esfaqueado 1 O homem suspeito de atacar um cachorro com um facão prestou depoimento nesta sexta-feira (26), em Sorocaba (SP). De acordo com o delegado, ele alegou que tentou se defender e espantar os cães que atacavam um gato dele.

O delegado José Ordele conta que o suspeito chegou na rua e se deparou com a cena do gato já morto, estraçalhado e quatro cachorros a dividir o que sobrou do gato. “Ele conseguiu espantar dois cachorros e dois ficaram no local. Quando se aproximou, um deles rosnou e veio para cima dele. Foi a ocasião que ele usou o facão, segundo ele, para se defender do ataque do cachorro. A versão final dele ele está extremamente aborrecido com o que aconteceu porque ele gosta de bichos. Ele tem gato e tem cachorro na casa dele e que, lamentavelmente, ele estava com um facão na mão e foi o que teve que usar na ocasião”, explica.

Ainda segundo a Polícia Civil, o caso vai ser encaminhado ao juizado especial criminal, que avalia esse tipo de delito. A pena pode variar de três meses a um ano, porém, pode ser substituída por prestação de serviços ou pagamento de cestas básicas.
A equipe da TV TEM tentou conversa com o homem, mas ele não quis falar sobre assunto.

O ataque ao cachorro gerou muita repercussão e até ameaças ao suspeito nas redes sociais. Entretanto, o delegado faz um alerta. Quem incentivou a violência contra o homem, pode ser chamado para depor caso seja identificado e até responder criminalmente por isso.

“Um erro não justifica o outro. Ele errou e vai pagar. Não dá o direito do cidadão, que está tomado de violenta emoção, toma a justiça pelas próprias mãos. Querer agredir e entrar em uma rede social e convocar a população para ir na porta da casa do autor apedrejar a casa ou qualquer outra coisa. Então, será apurada também a conduta dessas pessoas”, conforme esclarece o delegado.

O caso

O suspeito confessou o crime na quarta-feira (24) pelo advogado dele, um dia após ele ser identificado pela polícia. O homem deveria ter prestado depoimento de manhã, mas não compareceu a delegacia.

Segundo o advogado, o suspeito teria faltado ao depoimento por conta de problemas de saúde. Ainda de acordo com o advogado, o homem teria esfaqueado o cachorro após o ter visto em cima do gato de sua filha, que estaria morto.

De acordo com a assistente administrativa Mariana Almeida da Silva, que fez o resgate, o animal foi atacado pelo homem. Ela conta que chegou para trabalhar pela manhã quando encontrou três vira-latas escondidos debaixo de um carro no estacionamento do escritório. Minutos depois, ouviu o latido de um deles e um viu um homem saindo do local com um facão em mãos. “Vi as marcas de sangue e corri atrás dele na rua. Ele me disse que tinha esfaqueado o cachorro que matou o gato da filha dele e que eu poderia chamar a polícia, porque até o 12h ele mataria os outros cães. Foi horrível”, afirma.

Segundo ela, ao voltar para o escritório, os cães haviam saído do local. Alguns metros depois, já na avenida Antônio Carlos Comitre, o vira-lata ferido foi encontrado sozinho deitado em frente a um estabelecimento comercial.

Resgate

De acordo com Mariana, após o primeiro atendimento ao animal, ela e algumas amigas divulgaram o caso em redes sociais. Foi quando a vendedora e ativista Kerley Cristina Ferreira, colega da Mariana, foi buscar o cão e o levou até um hospital veterinário.

“Estava trabalhando em São Roque (SP) quando me ligaram para falar sobre o crime. Fui correndo para o local e ajudei a levar o cachorrinho para uma veterinário aqui em Sorocaba mesmo. O mais triste é que, enquanto eu estava no carro tentando acalmá-lo, ele abanava o rabo para mim. Como se quisesse agradecer”, diz emocionada.

O cão passou por cirurgia, recebeu alta e foi acolhido por uma família, na região do Éden. O lar oferecido pela auxiliar administrativo Alexandra Vargas era para ser provisório, mas ela mudou de ideia ao ver o cão.

“Ele já chegou conquistando. A hora que eu vi ele no carro com as meninas não teve jeito, acho que não vou conseguir passar ele para alguém. A gente decidiu colocar o nome dele de Vitório, por ser vitorioso, por essa barra que ele passou”, explica Alexandra. Os outros dois animais, entre eles uma cadelinha prenha, fugiram, informaram Mariana e Kerley.

Assista ao vídeo clicando aqui.

SP Sorocaba cao esfaqueado 2

Fonte: G1

MAIS NOTICIAS

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.