Suspeito de quebrar patas de cão diz que animal pulou de muro

Suspeito de quebrar patas de cão diz que animal pulou de muro

Feroz passou por uma cirurgia e ainda corre o risco de ter duas patas amputadas.

caopataquebrada

O dono de um bar é o suspeito de agredir um cãozinho com um taco de sinuca em São Gonçalo, na região Metropolitana do Rio. Carlos Sérgio Correia Bonfim negou ter batido no cachorro e disse que Feroz quebrou as duas patas dianteiras ao cair de um muro. O depoimento de Carlos Sérgio está marcado esta para quarta-feira (03) na Delegacia de Rio do Ouro (75ªDP).

O homem apontou o local onde Feroz teria caído de um muro. Ele disse que presenciou uma briga entre cachorros no quintal de casa. Além disso, Carlos Sérgio afirmou que está sendo acusado de algo que não fez

Segundo a tutora do cão, Silvânia Figueiredo, Feroz foi encontrado com as duas patas quebradas após ter sido agredido pelo dono do bar. Um vizinho socorreu o animal e o levou para o veterinário. O cachorro passou por uma cirurgia para a colocação de pinos, mas ainda corre o risco de ter as patinhas amputadas

Depois da operação, Feroz passou a andar boa parte do tempo apenas com as patas traseiras. Esperto e alegre, o cãozinho consegue até correr

Essa foto mostra como o animal estava quando foi encontrado. De acordo com o vizinho que socorreu Feroz, João Batista, o resultado do exame de raio X mostrou que o cachorro foi agredido com muita violência.

— As duas patas foram quebradas com muita força, violência e crueldade. Os ossos treparam um por cima do outro

A tutora do cão contou que procurou o suposto agressor para saber o que havia ocorrido. De acordo com Silvânia, o homem disse que usou o taco apenas para espantar o animal, já que ele também tem outros cachorros em casa. Porém, a mulher está revoltada com a situação e diz que vai lutar por justiça. 

— Ele vai ter que pagar. Não sei o que a lei vai determinar, mas alguma coisa precisa ser feita

Fonte: Tribuna Hoje

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.