Tailândia, sob fogo de ambientalistas e grupos de direitos dos animais, suspende o comércio de cavalos-marinhos

Tailândia, sob fogo de ambientalistas e grupos de direitos dos animais, suspende o comércio de cavalos-marinhos
Os cavalos-marinhos usados na medicina chinesa.

Tailândia, o maior exportador de cavalos-marinhos do mundo, está suspendendo o comércio desse animal devido às preocupações sobre as ameaças à sua população selvagem.

A decisão foi anunciada em uma reunião na Convention on International Trade in Endangered Species of Wild Fauna and Flora (CITES – Convenção do Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna e Flora Selvagens).

A Dra. Amanda Vincent, uma especialista em cavalos-marinhos da Universidade da Columbia Britânica, disse no último dia 27 que a Tailândia parou com seu comércio de cavalos-marinhos mais cedo neste ano até que ela possa tornar sua exportação “sustentável”.

Vincent diz que a decisão tailandesa é “uma etapa para instituir uma gestão séria”.

Vincent é diretora do Projeto Cavalo-Marinho, um grupo que trabalha com as autoridades tailandesas na conservação desses animais. O parceiro do grupo é a Sociedade Zoológica de Londres.

Os cavalos-marinhos são principalmente usados de forma desidratada para a medicina tradicional da China continental, Hong Kong e Taiwan.

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.