Tamanduá passa por cirurgia após ser encontrada ferida em garagem de residência em Porto Velho, RO

Tamanduá passa por cirurgia após ser encontrada ferida em garagem de residência em Porto Velho, RO
Taís Paiva participou da cirurgia que recuperou o membro posterior esquerdo do tamanduá — Foto: Clinidog/Divulgação

Uma tamanduá fêmea foi resgatada pela Polícia Militar Ambiental (PMA) dentro da garagem de uma casa na região central de Porto Velho na sexta-feira (14). O animal apresentava ferimentos causados por um ataque de porco-espinho e uma fratura na pata.

A estudante de medicina veterinária e proprietária de uma clínica na Zona Norte, Taís Paiva, atendeu voluntariamente o bichinho junto com o esposo Carlos Henrique Tibúrcio, que é médico veterinário. O animal foi encaminhado pelos policiais do BPA.

Taís conta que foi necessário fazer uma cirurgia ortopédica na Linguaruda, como foi batizada pela equipe da clínica.

“Ela estava bem debilitada, em choque, desidratada e nós colocamos o soro, estabilizamos com medicação e durante a avaliação física dela foi constatado que ela estava com um fratura de tíbia”, lembra Taís.

Após a realização de uma radiografia, Linguaruda foi levada para o centro cirúrgico. “Fizemos a cirurgia, reduzimos a fratura. Foi usado placa e após ela retornar da cirurgia, o BPA levou ela de volta para a sede deles”, explicou.

Tamanduá tinha ferimentos por ataque de porco-espinho e uma fratura na para. — Foto: Clinidog/Divulgação

A operação durou cerca de 1h30 com uso de anestesia local. Agora, a fêmea de tamanduá já está se alimentando e andando. Após alguns dias de recuperação do batalhão militar, ela deve ser devolvida à natureza.

Um sargento médico veterinário da unidade em Candeias do Jamari (RO), na região metropolitana de Porto Velho, ficou responsável por medicar a fêmea para evitar infecções.

Paiva ainda explicou que é incomum a presença dessa espécie em áreas residenciais urbanas e que provavelmente, o animal estava fugindo de alguma queimada quando foi localizado. Ela recomendou cuidado ao lidar com o bicho pois pode atacar com a garra.

“Ela é jovem. Ela ainda estava com a linha de crescimento ósseo aberta, então ela provavelmente tinha quase um aninho”, comentou.

Tamanduá Linguaruda se recupera em batalhão da Polícia Ambiental em RO — Foto: Clinidog/Divulgação

Por Diêgo Holanda

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: Há quem defenda que um animal encontrado nessas condições deve ser deixado para morrer porque é a “ordem natural”. Nós entendemos que ele deve ser ajudado, como de fato foi. Os humanos têm que intervir sempre que puder ajudar os animais. É uma obrigação moral.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.