Tanto leite tirado de sofrimento silenciado

Por Dr. phil. Sônia T. Felipe

Olha o que eu leio, quando leio uma notícia dessas, de uma fazenda de confinamento de vacas em São Paulo (justamente onde a água não está mais em abundância) que mostra parte dos números, a extração de 70 mil litros de leite por dia, e omite a outra parte, grossa, brutal, desumana, cruel para com as vacas e os vitelos nascidos nesse “carrossel” da dor e da agonia: essa fazenda devasta 35 toneladas de grãos e cereais, 140 toneladas de forragens e 60,760 milhões de litros de água por dia, para produzir nas vacas esse leite todo, extrair delas todo esse leite e processar essas 70 toneladas de leite diariamente.

Como resultado desses 70 mil litros de leite extraídos das vacas por dia, elas deixam uma montanha de 1,120 toneladas de excrementos, uma média de 16 kg por litro de leite extraído, pois na excreção não há como manter separada a urina das fezes.

E, por serem ordenhadas com sistema a vácuo, esses 70 mil litros de leites tirados delas são a causa de inflamações e infecções no úbere, nas patas e no sistema digestório. Um inferno de vida para as fêmeas bovinas.

E as vacas, no mesmo padrão mental dos cavalos, evoluíram para suportar a dor sem se lamentar, por medo de serem devorados pelos predadores. E a extração de leite do úbere delas dói. Dói muito todo esse leite a ser tirado delas, além de doer sem fim o sequestro de seus bebês no mesmo dia do nascimento. E foi para eles que o organismo delas se preparou para secretar tanto leite. 

Nota do Olhar Animal: Leia matéria ‘Fazenda produz 70 mil litros de leite por dia com sistema de carrossel‘, publicada no site Globo Rural.

{article 105}{text}{/article}

Olhar Animal – www.olharanimal.org

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.